O TRIBUNAL Militar de Asiut, no sul do Egipto, condenou à revelia à prisão perpétua 148 alegados islamitas pela destruição do museu da cidade de Malawi, no vale do Nilo, em 2013, noticiou a agência de notícias egípcia.

Os condenados invadiram e queimaram o museu em Agosto de 2013, altura em que o país entrou numa espiral de violência, após a expulsão dos acampamentos de islamitas e apoiantes do Presidente deposto Mohamed Morsi, na capital egípcia. No mesmo processo, o tribunal sentenciou outros 42 detidos a dez anos de prisão, dois a cinco anos e um ano para um adolescente, mas também libertou outros dez suspeitos.


 

Mais recentes

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,55 60,70
ZAR 4,37 4,45
EUR 69,97 71,32

15.12.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

HÁ uns anos um deputado da Assembleia da República, meu amigo,  ...
2017-12-15 23:30:00
IMPLICÂNCIA sem motivos. É comum não nutrirmos simpatia por ...
2017-12-15 23:30:00
AS FESTAS!... EM boa verdade elas, sobretudo as que se avizinham, são ...
2017-12-14 23:30:00
DEFINITIVAMENTE  não sou dono do meu tempo. Nunca fui, e jamais serei. ...
2017-12-14 23:30:00
TERMINEI o último artigo manifestando pesar pelo facto de as obras de ...
2017-12-14 23:30:00