Opinião

Politica

A COMISSÃO dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e de Legalidade da Assembleia da República (AR) defende a ratificação da convenção da União ...

terça, 26 março 2019
Leia +

Nacional

UTENTES da Estrada Nacional número Seis, estabelecendo a ligação entre as cidades da Beira e Chimoio, manifestam-se satisfeitos com a reabertura, ontem, do troço ...

terça, 26 março 2019
Leia +

Beira

OS afectados pelo Ciclone Idai, que se encontravam acomodados em algumas escolas da cidade da Beira,estão desde ontem a ser transferidos para um novo centro criado no Instituto de ...

terça, 26 março 2019
Leia +
Pub
SN

Desporto

A SELECÇÃO nacional de futebol de Sub-23 procura hoje, diante da congénere zimbabweana, às 15:00 horas de Maputo, a passagem para a terceira e última ...

terça, 26 março 2019
Leia +

Economia

A AÇUCAREIRA da Maragra, no distrito da Manhiça, província de Maputo, ainda não conseguiu explorar a totalidade da capacidade instalada de produção, devido ...

terça, 26 março 2019
Read more

Tecnologias

A SANIDADE vegetal continua a ser um desafio para o sector da Agricultura em Moçambique, o que obriga a adopção de estratégias cada vez mais assertivas e maior ...

terça, 26 março 2019
Leia +

Mais de quatro milhões e meio de dólares norte-americanos estão a ser investidos nas províncias da Zambézia e Cabo Delgado, em dez projectos de gestão integrada de recursos, na perspectiva de reduzir a pressão sobre as florestas, com envolvimento das comunidades.

Ligado à operacionalização da iniciativa, realizou-se semana passada, na cidade de Nampula, a primeira reunião do Comité Nacional de Gestão do Projecto Mecanismo de Doação para o Desenvolvimento das Comunidades Locais (MozDGM), uma plataforma nacional de advocacia na área de gestão sustentável dos recursos naturais.

O presidente desta organização, Daniel Maúla, explicou que, com o projecto, pretende-se prestar assistência técnica e financeira às comunidades para uma gestão integrada de recursos, nomeadamente maneio comunitário, biomassa, estabelecimento do quadro legal e adopção de uma política neste domínio.

Daniel Maúla referiu que as actividades alternativas a florestas incluem produtos não florestais, agricultura, criação de gado bovino, produção de mel, entre outras.

O projecto será desenvolvido em cinco anos, prevendo-se que até ao fim deste período mais de cinco mil pessoas estejam sensibilizadas e capacitadas para tomar decisões sobre a gestão integrada de recursos naturais na Zambézia e Cabo Delgado. A iniciativa, que iniciou formalmente as suas actividades em Fevereiro deste ano, depois de um longo período de gestação, funciona, neste momento, com fundos de parceiros, canalizados através do Banco Mundial.

Entretanto, as associações comunitárias ainda não estão legalizadas. Sobre o assunto, Rito Mabunda, do Comité de Coordenação do Projecto, disse que este facto não impede que as agremiações concorram para o acesso ao fundo. “A legalização pode ser feita depois, com o apoio técnico do projecto, sendo que o mais importante neste momento é utilizar os recursos naturais para promover o desenvolvimento socioeconómico local”, afirmou Mabunda.

Assim, cada associação comunitária pode concorrer para o acesso a valores que variam de 150 mil a 200 mil dólares.

O encontro de Nampula serviu para a apresentação e discussão de actividades para os próximos seis meses e o respectivo orçamento, estimado em 700 mil dólares. Participaram no evento os membros do MozDGM, organizações ambientalistas, comités de gestão de recursos naturais e jornalistas.

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction