Director: Júlio Manjate   ||  Director(a) Adjunto(a): 

O Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) em Nampula manifestou o seu agrado pela forma ordeira como decorreu a votação nas eleições autárquicas desta quarta-feira nesta zona norte do país.

“Estamos satisfeitos porque o acto eleitoral decorreu de forma ordeira e felizmente sem incidentes de relevo que pudessem manchá-lo”, disse a jornalistas Jacinto António, chefe de operações e porta-voz do STAE.

Falando em conferência de imprensa, Jacinto António não prestou qualquer informação sobre o apuramento dos votos dos sete distritos autárquicos explicando que isso está a ser feito a nível central.

“Os órgãos de gestão eleitoral de nível central já começaram a divulgar os resultados, além de que estamos a receber ainda as actas e editais dos distritos e há que processar tudo”, afirmou.

 O porta-voz do STAE em Nampula assegurou que os prazos estabelecidos para a divulgação dos resultados intermédios destas autárquicas serão cumpridos.

Além da capital Nampula, as eleições autárquicas tiveram lugar em mais seis distritos, nomeadamente, Nacala-Porto. Angoche, Monapo, Ribaue, Ilha de Moçambique e Malema.

Comments

A PLATAFORMA da sociedade civil “Sala da Paz” considera que os munícipes das 53 autarquias do país exerceram quarta-feira o seu direito cívico com responsabilidade e compromisso.

Comments

11: 21 horas - Mandimba termina com liderança da Frelimo

Segundo o Secretariado de Administração Eleitoral, STAE, já terminou a contagem parcial de votos na autarquia da Vila de Mandimba.

Esta autarquia foram já processadas um total de 21 mesas o correspondente a 100 porcento, tendo se obtidos os seguintes resultados parciais.

A Frelimo obteve 4.318 votos, o correspondente a 57,4 % de votos, enquanto a Renamo obteve 2.938 votos, equivalentes a 39.05 por cento do total de votos. Por sua vez, o MDM arrecadou 267 votos que totaliza 3,55 por cento de votos.

Fonte: rprovisorios.stae.org.mz/Resultados/Provisorio?

 

10:39 h - Frelimo obtêm vantagem na contagem de 47 mesas em Montepuez 

Numa ronda efectuada pela nossa reportagem, junto de 47, das 83 mesas de votação que funcionaram ao nível da autarquia da cidade de Montepuez, em Cabo Delgado, os resultados ali afixados, no âmbito do apuramento parcial, permitiram concluir que o Partido Frelimo, cujo cabeça de lista é Cicilio Chabane, obteve certa vantagem sobre os seus adversários do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) e da Renamo, Armindo Cipriano e Segundinho de Jesus Makero, respectivamente.

Assim, na EPC de Nihula, onde tinham sido inscritos 5.704 eleitores, a Frelimo obteve ao nível de 8 mesas que ali funcionaram, 1.321 votos, MDM 79 e Renamo 867 votos.

Na EPC de Ncoripo, onde tinham sido inscritos 4.870 eleitores, a Frelimo obteve ao nível das sete mesas de votação, 868 votos, MDM 110 e Renamo 1.758 votos.

Na EPC de Matunda, onde o STAE havia inscrito 2.581 eleitores, a Frelimo obteve nas 4 mesas de votação, 477 votos, MDM 37 e Renamo 597 votos.

Na EPC de Matuto 4, tinham sido inscritos 3.032 potenciais eleitores, tendo a Frelimo conseguido nas 4 mesas, 830 votos, MDM 73 e Renamo 623 votos.

Ao nível da Escola Secundaria de Montepuez-sede, onde tinham sido recenseados 7.235 potenciais eleitores, a Frelimo obteve 1.348 votos, MDM 109 e Renamo 113 e Renamo 1.135 votos.

Na EPC de Mirige, onde tinham sido inscritos 6.868 eleitores, a Frelimo obteve nas 9 mesas que ali funcionaram, 1.428 votos, MDM 114 e Renamo 1.227 votos.

Na EPC de Matuta 1, onde o STAE havia inscrito 5.948 eleitores, a Frelimo obteve nas 8 mesas de votação, 1.705 votos, MDM 92 e Renamo 1.040 votos.

Ficou por obter, dados referentes às mesas de votação das assembleias de Nacate, Napai, Pitimpini, Maviha, Namuetho, Melapani, Nancaramo, Matico e Nicuapa.

Para as eleições, tinham sido inscritos 58.680 eleitores, criadas 16 assembleias, onde tinham sido instaladas, 83 mesas, assistidas por 581 membros de mesas de votação.

(Assane Issa)

 

09:20 h - Frelimo com vantagem em Lichinga e Pemba

Os resultados preliminares da contagem de votos da eleição autárquica realizada, ontem, nas 53 vilas e cidades municipais indica que em Lichinga, a Frelimo está em vantagem com 22.639 votos, contra 16.030 votos da Renamo, enquanto o MDM arrecadou 1.391 votos.

Nesta autarquia, foram registados 789 votos nulos, 863 brancos e 16 reclamados, segundo noticia a Rádio Moçambique.

Na província de Cabo Delgado, o município da cidade de Pemba, divulgou os seguintes resultados preliminares: Frelimo 21.879 votos, contra 15.085 da Renamo, o MDM arrecadou 2.538 votos, enquanto o PAHUMO possui 256.

Nesta autarquia foram contabilizados, igualmente, 910 votos nulos, 845 votos brancos e 21 votos foram reclamados.

Na autarquia de Cuamba foram contabilizados 3.638 para a Frelimo e a Renamo arrecadou 5.173 votos, contra 353 do MDM e o PDM somou apenas 44 votos a seu favor. Foram ainda anotados 232 votos nulos, 297 em branco, e 24 votos foram reclamados.

Comments

A Presidente da Assembleia da República, Verónica Macamo Ndlovu, disse que o direito de votar representa para os moçambicanos a capacidade que têm de poder escolher quem deve ser dirigente dos órgãos autárquicos.

Segundo afirmou, cada cidadão recenseado deveria exercer o seu direito de cidadania, influenciando na decisão da escolha dos gestores dos órgãos locais.

A Presidente da Assembleia da República votou na Escola Secundária da Polana, onde funcionaram seis assembleias de voto. Neste posto, foram inscritos 4800 eleitores, entre os quais o antigo Presidente da República, Joaquim Chissano, os antigos primeiros-ministros, Luísa Diogo e Alberto Vaquina, o comandante-geral da Polícia, Bernardino Rafael, os antigos ministros da Defesa, Tobias Dai, e dos Combatentes, Mateus Kida, e a governadora da cidade de Maputo, Iolanda Cintura, que também ontem exerceram o seu direito de cidadania.

ACONSELHA PRIMEIRO-MINISTRO: Aguardar os resultados com calma

O Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho do Rosário, apelou aos eleitores que se deslocaram às mesas de voto a aguardar serenamente a divulgação dos resultados pelos órgãos competentes.

Carlos Agostinho do Rosário, que votou na Escola Secundária da Polana, na autarquia de Maputo, disse que a calma e a serenidade sempre foi característica dos moçambicanos, frisando que esta postura deve permanecer, mesmo nas eleições.

Congratulou a ordem e o civismo demonstrados pelos eleitores na maioria dos conselhos autárquicos, reiterando que esta deve ser a imagem a demonstrar para todo o país e o mundo.

Indicou que o sufrágio de ontem foi uma oportunidade que os cidadãos eleitores tiveram para definir o futuro das autarquias onde residem, escolhendo os candidatos que apresentam melhor programa de governação.

Voto define rumo do país

O Presidente do Tribunal Supremo, Adelino Muchanga, disse que através do voto os cidadãos escolhem a opção certa para a solução dos problemas que os afligem.

Adelino Muchanga fez este pronunciamento depois de ter votado na assembleia número 11019-01, que funcionou na Escola Secundária da Polana. O presidente do Tribunal Supremo sublinhou que através do voto o cidadão participa na definição das políticas de administração de cada município.

Acrescentou que a adesão às urnas é um direito pessoal e fundamental que garante a participação do cidadão na vida política.

Garantia do exercício da democracia

O Voto garante o exercício da democracia e é a elevação máxima da participação dos cidadãos na vida política e social, defendeu o presidente do Tribunal Administrativo, Machatine Munguambe.

Falando à imprensa momentos após votar na Escola Secundária da Polana, na assembleia número 11019-01, Machatine afirmou que votar significa desenvolvimento, pois, quem exerce este direito participa na definição dos rumos do município.

Acrescentou que o voto é a expressão da vontade dos cidadãos.

O presidente do Conselho Constitucional, Hermenegildo Gamito, exerceu o seu direito cívico na mesma assembleia de voto e afirmou que votar é um acto de cidadania que eleva os munícipes.

Por seu turno, a Procuradora-Geral da República, Beatriz Buchili, apelou aos moçambicanos para que se afastem de qualquer acto que conflitua com o processo eleitoral, sob o risco de os infractores serem penalizados.

Calisto só pensa na vitória

NUM ambiente considerado tranquilo, a votação na autarquia da Matola decorreu sem sobressaltos e não foram registadas ocorrências dignas de realce, o que foi considerado pelos eleitores e concorrentes como um processo bem organizado e executado no cumprimento restrito da lei.

O cabeça-de-lista da Frelimo, Calisto Cossa, disse estar confiante na vitória do seu partido, o que vai dar oportunidade para continuar com as realizações que visam criar as melhores condições de vida dos munícipes de todos os bairros da Matola.

Acompanhado da sua esposa, Cossa apelou à saída da respectiva assembleia de voto, na Escola Primária Completa de Tchumene 2, a todos os munícipes para que afluíssem em massa às urnas no sentido de garantir que o escrutínio tenha a legitimidade desejada, aconselhando a todos os votantes no sentido de voltarem para casa tranquilamente à espera dos resultados.

Informou que iria aguardar pela contagem junto dos seus camaradas na sede do partido, tendo exortado a todos os munícipes da Matola a pautarem pelo civismo e urbanismo no cumprimento do seu dever patriótico.

CONSIDERA SILVÉRIO RONGUANE: Todos concorrentes em condições de ganhar

O CABEÇA-DE-LISTA do MDM, na Matola, Silvério Ronguane, votou na Escola Primária Completa 30 de Janeiro e disse que todos os concorrentes estavam em condições de ganhar. Porém, segundo afirmou, deve ser eleito o partido que melhores opções apresentar.

Muchanga “fiscaliza” bairros

ANTÓNIO Muchanga, cabeça-de-lista da Renamo, votou na Escola Primária Completa Tunduro, no conselho autárquico da Matola. Disse que o seu voto visava operar mudanças e melhorar as condições de vida dos munícipes locais.

Depois do exercício do seu dever de cidadania, Muchanga afirmou que iria se deslocar a alguns bairros para “ajudar a dissipar equívocos” de cidadãos que, alegadamente, pretendiam votar mesmo residindo fora da área autárquica do município.

Entretanto, numa ronda efectuada a diferentes bairros, a nossa Reportagem testemunhou a forma ordeira como decorreu o processo, bem como a resposta atempada dos órgãos eleitorais às situações que poderiam criar constrangimento ao funcionamento das mesas.

QUELIMANE: Morosidade no atendimento

AFLUÊNCIA massiva e morosidade no atendimento marcaram a votação no conselho autárquico de Quelimane. O cabeça-de-lista da Frelimo, Carlos Carneiro, votou na Escola Primária Completa de Quelimane, da Renamo, Manuel de Araújo, na Escola Primária Completa de Coalane, e do MDM, Rogério Waro-Waro, na Escola Primária Completa 17 de Setembro.

O processo foi caracterizado pelo registo de algumas anomalias, dentre as quais a ausência de nomes nos cadernos eleitorais, a não priorização de eleitores com necessidades especiais e morosidade no processamento dos “mobile” por falta de domínio por parte dos membros das mesas de voto.

Em Maganja da Costa, Guruè, Milange, Mocuba e Alto Molócuè há informações segundo as quais o processo decorreu com normalidade.

Detido em Chimoio por campanha à boca da urna”

UM indivíduo identificado como sendo da Renamo foi detido na Escola Primária Completa Nhamadjessa, no município de Chimoio, por alegadamente ter sido encontrado em flagrante a fazer propaganda eleitoral nas proximidades de uma assembleia de voto.

Segundo a porta-voz da Polícia em Manica, Elsídia Filipe, além deste ilícito eleitoral o mesmo indivíduo terá desobedecido às ordens das autoridades que o chamaram a atenção para a abandonar esta prática.

Fora este e outros pequenos episódios considerados de “pequena monta”, a votação decorreu sem sobressaltos em todos os cinco conselhos autárquicos da província.

O cabeça-de-lista da Frelimo, João Ferreira, votou na assembleia número 06002-01, da Escola Primária 25 de Junho. Ferreira manifestou-se satisfeito por ter exercido o direito de voto e reafirmou o seu compromisso em desenvolver o município.

Manuel Macocove, cabeça-de-lista da Renamo, exerceu o seu direito cívico na assembleia número 06001-02, da EPC Centro Hípico, e elogiou o nível de organização do processo.

O cabeça-de-lista do MDM, Alberto Nota, votou na assembleia número 06021-03, instalada na Escola Secundária da Soalpo. 

 

 

Comments

OS MUNÍCIPES das 53 autarquias do país foram ontem às urnas votar os dirigentes que, nos próximos cinco anos, irão encarregar-se da gestão da coisa pública a nível local, num ambiente ordeiro e sereno, a despeito do registo de situações embaraçosas que, entretanto, foram prontamente debeladas pelos órgãos de administração eleitoral e agentes encarregues de manter a ordem e a segurança públicas. São os exemplos de eleitores que depois de terem exercido o seu cívico se recusavam a abandonar as assembleias de voto. A maioria das 5.459 mesas de votação abriu a tempo e registaram grande afluência logo às primeiras horas. Entretanto, ao fim do dia, já era notório o abrandamento dos eleitores em muitas assembleias. Os concorrentes ao sufrágio aproveitaram-se da ocasião para reafirmar as promessas feitas durante a campanha eleitoral e, no geral, manifestaram-se todos confiantes na vitória.

CIDADE DE MAPUTO: Comiche tranquilo

O CABEÇA-DE-LISTA da Frelimo para a cidade de Maputo, Eneas Comiche, disse estar tranquilo e confiante na vitória que o levará à liderança dos destinos do Conselho Autárquico de Maputo.

Comiche, acompanhado da esposa e militantes do partido no poder, votou pontualmente às 8 horas na assembleia nr. 11068-01, instalada na Escola Primária Completa da Polana Caniço “A”. Depois de votar, disse que iria aguardar a divulgação dos resultados, com a necessária calma e serenidade.

Funcionaram neste posto de votação oito assembleias.

Contribuição para consolidação da paz

O SECRETÁRIO-GERAL da Frelimo, Roque Silva, afirmou que o voto não deve ser desperdiçado e é uma contribuição para a consolidação da paz e desenvolvimento do país.

Roque Silva votou na Escola Secundária da Polana Caniço, na cidade de Maputo. O dirigente partidário disse que votar é uma oportunidade para a escolha dos dirigentes que cada munícipe deseja na condução dos destinos da sua autarquia.

O secretário-geral da Frelimo, que se fazia acompanhar da sua esposa, confessou que há muito ansiava pelo dia da votação.

Hermínio Morais convicto na vitória

HERMÍNIO Morais, cabeça-de-lista da Renamo na cidade de Maputo, votou no bairro da Mafalala e mostrou-se confiante na vitória. Morais exerceu o seu direito cívico na assembleia número 11049-04 instalada Escola Primária Unidade 23

Disse que o voto é um direito fundamental do cidadão e garante do exercício da democracia, através do qual o cidadão tem a legitimidade de reclamar junto dos dirigentes municipais.

Mbazo satisfeito

O CABEÇA-DE-LISTA do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Augusto Mbazo, votou na assembleia com o número 11194-01, que funcionou na Escola Primária Filipe Samuel Magaia, no município de Maputo. Neste posto de votação, foram instaladas sete mesas.

Mbazo manifestou-se satisfeito por ter exercido o seu direito e disse estar confiante na vitória do seu partido.

TETE: Votação ordeira

NAS quatro autarquias da província de Tete, a votação foi ordeira e pacífica, com registo de afluência massiva logo às primeiras horas.

No Conselho Autárquico da cidade de Tete, o cabeça-de-lista da Frelimo, César de Carvalho, acompanhado da esposa e membros do Executivo provincial, votou na mesa 01, que funcionou na Escola Primária Completa Josina Machel. Carvalho manifestou-se satisfeito e disse que a vitória era certa.
Ainda nesta autarquia, o cabeça-de-lista da Renamo, Ricardo Tomás, votou na Escola Primária e Completa Gungunhana.

Depois de exercer o seu direito cívico, Ricardo Tomás enalteceu a importância do voto no aprofundamento da democracia e também manifestou-se confiante na vitória.

Enquanto isso, o cabeça-de-lista do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Hélder Manuel, exerceu o seu dever cívico na mesa 02 da Escola Primária e Completa Marien Ngouabi.
GAZA: Celeridade dos brigadistas em Gaza

NAS seis autarquias da província de Gaza, a votação decorreu num ambiente de tranquilidade, com as urnas a abrir à hora recomendada. Em Xai-Xai, cada um dos três cabeças-de-lista votou à hora que lhe havia reservada pelos órgãos eleitorais e na sua respectiva mesa, enquanto no Chókwè e em Mandlakazi, todos exerceram o seu direito na mesma assembleia de voto.

Emídio Benjamin Xavier, cabeça-de-lista da Frelimo na autarquia de Xai-Xai, votou na Escola Técnica de Construção Civil, na mesa número 09032-02 A, sob o testemunho dos técnicos do STAE da província de Gaza.

Disse estar convicto na vitória “histórica” do seu partido, a medir pela campanha eleitoral que realizou na qual apresentou os principais eixos que irão nortear o seu projecto de governação.

Mouzinho Gama Gundurujo, cabeça-de-lista da Renamo, também em Xai-Xai, votou na assembleia nr. 09014-04, instalada na Escola Primária do 1º e 2º Graus 7 de Outubro, no Bairro Patrice Lumumba.

Gundurujo disse que se sentia feliz e privilegiado por ter exercido o direito de votar, consagrado na Constituição.

Ainda em Xai-Xai, o cabeça-de-lista do MDM, Judite Macuácua, depois de exercer o seu direito de voto manifestou-se satisfeita, considerando o acto de importante e determinante para a vida do Conselho Autárquico.

Pediu aos envolvidos no processo para que realizassem o seu trabalho com perfeição e longe de interesses pessoais.

Na cidade de Chibuto, as assembleias de voto abriram todas às 07.00 horas. O cabeça-de-lista da Frelimo, Henrique Machava, votou na mesa 09068-04 do bairro 1, enquanto Tornado Paia, do MDM, exerceu o seu direito de cidadania na Escola Secundária de Chimundo e Pedro Alberto Pelembe, da Renamo, o fez na Escola Primária Completa 25 de Junho.

Na vila de Mandlakazi, Maria Helena Correia Langa (Frelimo), Mangão João Sumbana (MDM) e Henrique Sitoe (Renamo) votaram todos na Escola Primária Eduardo Mondlane e na mesma mesa com o nr. 09029-05.

Na autarquia da cidade de Chókwè, os três cabeças-de-lista destacaram, após o exercício do seu direito de voto, a celeridade com que o processo foi conduzido, o que evitou longas filas.

A cabeça-de-lista da Frelimo, Lídia Cossa, que concorre à sua própria sucessão, votou na Escola Secundária de Chókwè, na assembleia com o número 09145 - 01.

Alfredo Dide, da Renamo, também exerceu o seu direito cívico na mesma escola, na assembleia de voto com número 09145 - 02.

Todavia, o cabeça-de-lista da Renamo viu a sua situação complicada, momentaneamente, visto que os membros da mesa de voto não achavam o seu nome no caderno, não obstante ser portador de cartão de eleitor. Depois de muitas demarches, Alfredo Dide acabou por exercer o seu direito cívico.

O cabeça-de-lista do MDM, Euletério Sangane, votou igualmente na Escola Secundária de Chókwè, na assembleia com o número 09145 - 03.

Os três cabeças-de-lista salientaram a importância do voto na garantia do desenvolvimento da autarquia.

Já no Conselho Autárquico da Macia, os cabeças-de-lista da Frelimo e Renamo, respectivamente Ramal Mussagy e Narciso Cumbane, votaram na Escola Secundária da Macia e Alberto Nhamuche, do Movimento Democrático de Moçambique, na Escola Primária do 1º- bairro.

INHAMBANE: Todas as mesas abriram a tempo

TODAS as mesas de voto na província de Inhambane abriram a tempo e as urnas foram

encerradas depois de o último eleitor se ter apresentado para exercer o seu direito cívico. A votação foi descrita pelo director do STAE nesta província, César da Silva, como tendo ocorrido de forma pacífica, ordeira e tranquila.

Na cidade de Inhambane, o Governador Daniel Chapo e os cabeças-de-lista da Frelimo e da Renamo, nomeadamente Benedito Guimino e Vitalino Macause, votaram na assembleia com o nr. 08009-01, que funcionou na escola completa 3º Congresso.

O cabeça-de-lista do MDM, Fernando Nhaca, votou na assembleia número três, instalada no Instituto Industrial e Comercial Eduardo Mondlane.

Na Maxixe, Fernando Bambo, cabeça-de-lista da Frelimo, depositou o seu voto na Escola Primária Completa de Barrane e Simião Welemo, da Renamo, na Escola Secundária 29 de Setembro.

Por seu turno, José Ciniquinha, cabeça-de-lista do MDM, exerceu o seu dever de cidadania na Escola Secundária de Chambone e o do PAHUMO na Escola Primária Completa de Inhambiwa.

Em Quissico, todos os cabeças-de-lista votaram na assembleia com o nr. 08127-01, que funcionou na Escola Primária Completa Joaquim Chissano. Na vila de Massinga, o cabeça-de-lista da Frelimo e do MDM depositaram os seus votos na assembleia instalada na Escola Profissional e os da Renamo e JDM votaram na Escola Secundária de Massinga.

Na autarquia de Vilankulo, Wiliamo Tunzine, da Frelimo, votou na Escola Primária Completa da Sede; Ana Vilanculos, do MDM, na Escola Secundária de Mucoque, e João Boaventura, da Renamo, na assembleia que funcionou junto da Delegação Marítima.

Afluência e civismo em Gorongosa

A AFLUÊNCIA às urnas e civismo caracterizaram o ambiente de votação no Conselho Autárquico de Gorongosa, em Sofala.

Todas as 24 mesas que constituíram as três assembleias de voto abriram pontualmente às 7.00 horas, tal como preconiza a Lei Eleitoral em vigor no país, que orienta o encerramento às 18.00 horas.

Coincidentemente, os três cabeças-de-lista, respectivamente Sabete Morais, da Frelimo, Alfredo Magaço, da Renamo, e Daniel Miçasse, do MDM, votaram na mesma assembleia instalada na Escola Primária Completa 1º de Maio.

O administrador de Gorongosa, Manuel Jamaca, também votou nesta assembleia.

O sufrágio decorreu num ambiente calmo e ordeiro.

Normalidade no Niassa

A VOTAÇÃO na província do Niassa arrancou num clima de civismo, tendo sido notória a flexibilidade dos órgãos eleitorais em substituir os membros das mesas de voto que faltaram ao compromisso assumido, logo às primeiras horas. Todas as 282 mesas instaladas nas cinco autarquias abriram na hora prevista.

Entretanto, o Notícias soube  que na autarquia da cidade de Cuamba, alguns eleitores enfrentaram dificuldades de votar, após a abertura das assembleias. Porém, os técnicos do STAE foram solicitados a intervir e conseguiram dar cobro à situação, com recurso aos meios informáticos disponibilizados para o efeito para consulta dos nomes desses eleitores.

No Conselho Autárquico da cidade de Lichinga, o cabeça-de-lista da Frelimo, Luís Jumo, manifestou optimismo na vitória do seu partido, momentos após depositar o seu voto na urna numa mesa localizada na Escola Secundária Paulo Samuel Kankomba.

Saide Fidel, da Renamo, votou na Escola Primaria Completa do bairro de Namacula e manifestou satisfação por ter exercido o seu direito cívico.

O cabeça-de-lista do MDM, Yassine Àbilo, votou na Escola Primária Completa do bairro da Cerâmica e prometeu aguardar os resultados preliminares em sua casa.

Por seu turno, o cabeça-de-lista do PDM no munícipio de Cuamba, Arcanjo Araújo, votou na Escola Secundária local e manifestou satisfação pela organização do processo, bem como pela  afluência massiva dos eleitores às urnas.

Comments
Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction