Imprimir
Categoria: Beira
Visualizações: 1298

OS transportadores marítimos de passageiros e cargas da Praia Nova, na cidade da Beira, receberam ontem um ultimato para, no prazo de 45 dias, tratarem os seus documentos e outras condições que uma embarcação necessita para exercer a actividade.

A ordem foi transmitida por uma brigada constituída por técnicos da Empresa Moçambicana de Seguros (EMOSE) em coordenação com a Administração Marítima, acrescentando que, findo o período, os que não satisfizerem estas condições estarão impedidos de se fazerem ao mar.

“Hoje (18 de Março do ano em curso) deixámos recomendações para tratarem das licenças, livretes, seguros, boias circulares para todos os passageiros e motor em condições, mas não cumpriram. As embarcações vinham a trabalhar com 10 metros cúbicos, porque os donos querem ganhar mais e aumentaram as dimensões dos seus barcos entrando em choque com o estabelecido”, explicou o representante da EMOSE, Gabriel Canivete.

Elucidou que depois de assegurar a embarcação e quando se verificar algum acidente, lesão, danos ou mesmo mortes durante a sua instituição, vai cobrir as despesas se os transportadores fizerem seguro.

Por seu turno, o secretário da Associação dos Transportadores de Passageiros e Carga da Praia Nova, Manuel Chicamisse, os seus membros concordam com o prazo traçado, mas lamentam que o tempo seja curto, porque alguns motoristas ou maquinistas das embarcações não possuem bilhetes de identidade para tratar outros documentos como livrete.