O Presidente da República, Filipe Nyusi, diz que é responsabilidade do Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional (MCTESTP) produzir soluções para os problemas que condicionam o bom desempenho da agricultura, saúde, recursos hídricos e outras áreas essenciais para a vida dos moçambicanos.

Falando ontem no quadro da visita que efectuou àquele ministério, Nyusi ressalvou que, por mais pequenas que sejam, tais soluções vão fazer diferença no desenvolvimento do país. Segundo o Chefe do Estado, numa era em que o mundo está virado para as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) já não faz sentido que este conhecimento seja ainda do domínio de grupos restritos.

Uma das observações que chamou a atenção do Chefe do Estado foi a reportada fuga em massa dos quadros do Instituto Nacional de Tecnologias de Informação e Comunicação (INTIC) para instituições que oferecem melhores condições, com destaque para os bancos. Para ele, isso só acontece porque existem poucos quadros qualificados na área, problema que pode ser combatido formando mais quadros para o sector.

Exigiu harmonia e coesão entre os quadros dos diversos sectores que compõem o ministério, de modo a produzir as soluções de que o Estado tanto depende para o seu desenvolvimento. Segundo Nyusi, a instituição não deve ser palco de resolução de conflitos entre dirigentes ou entre estes e seus subordinados, pois isso “só atrasa o desenvolvimento.”

A falta de instalações para o funcionamento de grande parte dos estabelecimentos de ensino superior foi o denominador comum nas intervenções dos gestores, que apresentaram ao Chefe do Estado algumas propostas de solução de parte dos problemas com que o sector se debate.

Antes de orientar a sessão extraordinária do MCTESTP, Filipe Nyusi escalou a sede do ministério, os Institutos de Bolsas de Estudo, Nacional de Tecnologias de Informação e Comunicação (INTIC) e o Instituto Industrial de Maputo (IIM).

Sobre o Instituto de Bolsas de Estudo, o Presidente da República disse haver necessidade de se harmonizar os critérios de atribuição das bolsas, tendo em conta a representatividade e a unidade nacional.

“Deve haver equilíbrio na atribuição das bolsas de estudo de modo a promover-se competitividade entre as escolas elegíveis. Vi, por exemplo, que há uma escola com 80 por cento dos jovens bolseiros. As bolsas têm de ser programadas de modo a dar oportunidades de forma abrangente”, disse o Chefe do Estado. 

De 2016 a esta parte, o Instituto de Bolsas está a gerir 4.573 bolsas, das quais 3.150 internas e 1.423 externas, com o continente asiático a liderar a lista, ao absorver 36.1 por cento, seguido de países africanos com 32 por cento. A Europa absorve 24,2 por cento de bolseiros; a América do Sul 5,5; Austrália 1,5 e América do Norte, 0,7 por cento.

Entretanto, dados referentes à cobertura territorial da rede do Governo Electrónico (GovNet), dão conta de um total de 652 instituições ligadas, das quais 200 ao nível central, 315 nas províncias, 130 nos distritos e nove municípios do total de 53 existentes no país.

Breves

Editorial

EDITORIAL
Sexta, 20 Outubro 2017
O PRESIDENTE da República, Filipe Nyusi, manifestou há dias, e de forma particularmente severa, a sua preocupação em relação aos elevados índices de corrupção que se registam no país, tanto no sector público quanto no... Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
Caia vira corredor de desenvolvimento
Quinta, 19 Outubro 2017
O ADMINISTRADOR do distrito de Caia, João Saize, considerou, há dias, em entrevista ao nosso Jornal, que nos últimos oito anos a região se transformou num verdadeiro corredor de desenvolvimento, com a entrada em funcionamento da Ponte Armando Guebuza, em Agosto de 2009. Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quinzenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 60,70 61,84
ZAR 4,43 4,51
EUR 71,53 72,88

11.10.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

LOCALIZADA no extremo norte da província de Cabo Delgado, fazendo fronteira ...
2017-10-22 23:30:00
FRETILIN é nome de um dos movimentos que lutaram pela independência de ...
2017-10-22 23:30:00
NA semana passada vimos mais um acto mediatizado de demolições de ...
2017-10-22 23:30:00
HÁ alguns anos, o Governo do ex- presidente moçambicano, Joaquim ...
2017-10-20 23:30:00
MAIS um linchamento ocorreu ao princípio desta semana na cidade da Beira, ...
2017-10-20 23:30:00

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 2219 visitantes em linha