Imprimir
Categoria: Maputo
Visualizações: 405

A Direcção da Educação e Desenvolvimento Humano da Cidade de Maputo exprime a sua preocupação pela fraca adesão dos pais e encarregados de educação no distrito municipal KaNyaka no processo de matrículas de novos ingressos para a primeira classe referente ao ano lectivo de 2019.

A preocupação surge pelo facto de terem sido matriculadas, até agora, apenas cinco crianças naquele distrito desde o arranque do processo das matrículas, a 01 de Outubro corrente, noticiou a Rádio Moçambique.

Dados de todos os distritos municipais da cidade de Maputo referentes ao período, desde o início do processo até à última terça-feira (16), indicam uma realização de 49 por cento para as matrículas de ingresso na primeira classe, cifra que as autoridades consideram de satisfatório, tendo em conta que o processo prossegue até 31 de Dezembro.

“Contudo, temos uma preocupação com o distrito de KaNyaka, onde até ontem (terça-feira) só tínhamos matriculado apenas cinco alunos. Estamos a trabalhar no distrito de KaNyaka, com os encarregados, para levarem os seus alunos e não deixarem tudo para a última hora”, disse o director da Educação e Desenvolvimento Humano da Cidade de Maputo, Artur Dombo, no primeiro dia do Conselho Coordenador da Educação, um evento de dois dias.

A fonte disse ainda que o sector da Educação e Desenvolvimento Humano vai contratar para o próximo ano lectivo pelo menos 100 novos professores para a cidade de Maputo.
Dombo afirma, no entanto, que ainda não existe cabimento orçamental para o efeito, pois os fundos são disponibilizados pelo governo central.

O Orçamento do Estado para 2019 deverá ser aprovado durante a sessão ordinária da Assembleia da República, o parlamento do país, que arranca esta quinta-feira.
A fonte também anunciou a introdução do novo livro da primeira classe, actualizado, na sequência do novo currículo do ensino primário.

“O livro da terceira classe passa a ficar em desuso, a partir do próximo ano. Então, estamos a ter um currículo para o ensino básico”, anotou.

Participam no conselho coordenador vários intervenientes do sector da Educação, bem como a governadora da cidade de Maputo, Iolanda Cintura.