TRÊS fiscais da Reserva Nacional do Gilé, na Zambézia, cujos nomes não nos foram revelados, estão suspensos indiciados de caça ilegal de elefantes.

O facto foi avançado pelo administrador da Reserva, José Dias, à margem da cerimónia de preparação do Dia Internacional de Florestas, que se assinala hoje. 

Os suspeitos vão responder disciplinarmente, mas a Administração Nacional da Reserva do Gilé quer que os eles sejam processados criminalmente.

Segundo José Dias, citado pela Rádio Moçambique (RM), tudo começou quando um suposto caçador ilegal foi neutralizado, em Fevereiro último, na posse ilegal de três armas de fogo, a caminho da Reserva Nacional do Gilé. No telemóvel do suspeito existiam conteúdos que mostravam uma ligação entre este e os três fiscais da Reserva.

“Interpelámos o homem e confiscámos as armas. Ele foi encarcerado na cadeia do Gilé, mas o processo foi transferido para a Procuradoria de Quelimane. Há duas semanas tivemos conhecimento de que ele pagou caução e foi solto”, disse, acrescentando que o facto desagradou à instituição que dirige.

Além dos três fiscais, José Dias acredita que outras pessoas influentes no distrito de Pebane estejam envolvidas na caça furtiva de elefantes, dado que os seus contactos estão no telemóvel do suposto caçador furtivo. Sem avançar nomes, disse esperar uma rápida intervenção da Justiça.

A fonte avançou que o suposto caçador furtivo, que está agora em liberdade condicional, tem proferido ameaças aos funcionários da Reserva Nacional do Gilé e ao administrador.

“Ele ameaça-nos. Isso é um perigo para o corpo de fiscalização e para mim mesmo. Temo pela minha integridade”, disse, afirmando que já informou o sucedido às autoridades competentes.

Não é a primeira vez que a Reserva apresenta casos do género. No ano passado, três elefantes foram mortos por caçadores ilegais, e a  acção representou um enorme prejuízo para o Estado moçambicano.

Versão-Impressa


Breves

Editorial

EDITORIAL
Sexta, 23 Junho 2017
DOIS momentos marcaram esta semana o contacto entre o Banco de Moçambique e a comunicação social, nomeadamente o ponto de situação da economia nacional e os esclarecimentos à volta do processo que culminou com a venda do Banco Moza à Kuhanha –... Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
Mandimba faz de tudo para não passar fome
Terça, 27 Junho 2017
Há cada vez menos pessoas a se envolverem no cultivo e comercialização de tabaco, no distrito de Mandimba, província de Niassa, desânimo associado à falta de chuvas que se registou na campanha agrária passada e que provocou prejuízos enormes aos produtores. Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quizenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,83 60,97
ZAR 4,66 4,75
EUR 66,81 68,07

22.06.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

CONTRA as minhas próprias convicções, sou impelido a concordar ...
2017-06-27 06:45:03
ESTÁ um frio do catano. Me penetra até aos ossos, que os imagino ...
2017-06-27 06:43:12
EM 1975, eu ainda era pequeno. Com a idade que tinha, naturalmente não me ...
2017-06-26 07:35:13
A PREPARAÇÃO para ir a Foto Mia, a única casa de fotografia de ...
2017-06-26 07:30:10
NOS últimos dias, a actividade de “car wash” na cidade de Maputo ...
2017-06-26 07:25:47

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 2053 visitantes em linha