AS medidas combinadas de gestão que o Governo tem vindo a tomar na pesca do camarão, sobretudo no banco de Sofala, estão a produzir efeitos positivos que se traduzem no aumento do recurso na presente campanha.

Trata-se da veda, para proteger o recrutamento e a reprodução das espécies, acções de fiscalização para combater a pesca ilegal e a que se pratica com recurso a artes nocivas.

Segundo dados do Ministério do Mar, Águas Interiores e Pescas, em períodos anteriores a 2012, a captura total de camarão rondava nos 9.000 toneladas anuais, tendo decaído para níveis de 5.000, nos anos de 2012 e 2013. Porém, a partir de 2014, a produção anual deste recurso começou a registar tendência à recuperação, tendo-se cifrado em cerca de 8.000 toneladas de captura, no ano de 2016.

Esta evolução positiva resulta da implementação de um conjunto de medidas de gestão das pescarias pelo Governo, baseadas em estudos técnico-científicos, sistematicamente levados a cabo pelas autoridades moçambicanas, com a colaboração de Parceiros de Cooperação Internacional, entre eles, a WWF.

Apesar de, alguma imprensa internacional, sobretudo a espanhola, citando um estudo levado a cabo pela WWF Mediterrâneo, ter noticiado que a pescaria do camarão em Moçambique está à beira de colapso, por ser insustentável, o Ministério do Mar, Águas Interiores e Pescas apresenta evidências de crescimento do volume da captura, tanto na pesca industrial e semi-industrial como na artesanal.

Em várias publicações internacionais, aquela organização ecológica aconselha o mercado europeu, tido como o principal destinatário das exportações moçambicanas do camarão, a moderar o consumo deste crustáceo, prejudicado, segundo refere, pela captura de juvenis por pescadores artesanais e pela pesca ilegal.

Fez ainda menção a danos que resultaram entre 36 e 67 milhões de dólares, para além, pretensamente, da queda de captura de nove mil para 1800 toneladas por ano, quando comparado com a década anterior a 2012.

Confrontado com estes factos, fonte do Governo disse que esta realidade contraria, factualmente, a informação posta a circular pela WWF Mediterrâneo, que nunca foi partilhada com as entidades moçambicanas competentes na matéria, segundo a qual a pescaria de camarão estaria em risco de colapso, por estar a ser praticada de forma insustentável.

Para o Ministério, e considerando que notícias desta natureza, distorcidas da realidade dos factos, podem, inadvertida e injustamente, resultar em danos à boa imagem do país, como pode ser este caso, é necessário que haja partilha de informação em moldes construtivos e educativos, que conduzam à criação de um ambiente de harmonia e trabalho para o alcance das metas do Objectivo de Desenvolvimento Sustentável 14, relativo à “conservação e utilização de forma sustentável dos oceanos, mares e recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável”.

 

 

 

 

Mais recentes

Breves

Editorial

Editorial
Sexta, 22 Setembro 2017
O Governo decidiu, esta semana, avançar com uma proposta legislativa que preconiza um conjunto de medidas económicas destinadas a proteger o mercado, estimular novos investimentos, incentivar o consumo de matéria-prima local, alargar a base tributária e criar mais... Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
CLIKADAS - Nunca é tarde !
Sábado, 23 Setembro 2017
“NUNCA é tarde”, ouve-se corriqueiramente este ditado popular mas, não obstante, estamos, sobretudo no meio urbano, pela sua dinâmica, sempre “stressados” para cumprir as metas que nunca acabam. Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quinzenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 60,77 61,93
ZAR 4,65 4,74
EUR 72,73 74,12

14.09.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

HOJE o assunto é o futebol, por duas motivações. A primeira, ...
2017-09-22 23:30:00
UM dos meus falecidos mestres de Jornalismo, o Augusto de Carvalho, disse um dia ...
2017-09-22 23:30:00
MATEI todos os estudantes que estavam na sala de aulas, um a um. Alvejei sem mirar, ...
2017-09-22 23:30:00
DEVERAS horripilante o que aconteceu, semana passada, na Escola Secundária de ...
2017-09-21 23:30:00
FOI mais ou menos desta forma que minha filha “entrou” nas ...
2017-09-21 23:30:00

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 2571 visitantes em linha