Director: Júlio Manjate   ||  Director(a) Adjunto(a): 

Opinião

Politica

Decorre este sábado e domingo um encontro para a apresentação das contribuições das auscultações feitas pela Sociedade Civil sobre o Anteprojecto da ...

quarta, 21 novembro 2018
Leia +

Nacional

A primeira fábrica de leite esterilizado em Moçambique está a ser construída no distrito de Sussundenga, na província de Manica, prevendo-se que venha a cobrir ...

quarta, 21 novembro 2018
Leia +

Autárquicas 2018

A VOTAÇÃO nas oito mesas cujos resultados foram anulados pelo Conselho Constitucional na autarquia de Marromeu, em Sofala, deverá ser repetida até ao dia 25 de Novembro ...

quinta, 15 novembro 2018
Leia +
Pub
SN

Desporto

A SELECÇÃO Nacional de Futebol de Sub-23 joga esta tarde (15:00 horas) cartada decisiva em Manzini frente à sua congénere de eSwatini, na segunda “mão” ...

terça, 20 novembro 2018
Leia +

Economia

O Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho do Rosário, anunciou hoje na Assembleia da República ter sido encontrada uma solução para retomar o funcionamento das ...

quarta, 21 novembro 2018
Read more

Tecnologias

O Governo dos Estados Unidos, através do Projecto Feed the Future, Comércio de Sementes da África Austral, anunciou ontem uma doação de cem mil dólares ...

quarta, 21 novembro 2018
Leia +

OS recifes de coral de todo o mundo estão em risco devido ao aquecimento global, alerta um estudo divulgado na quinta-feira, que documenta a morte de corais com uma rapidez nunca vista até hoje.

Uma equipa internacional de investigadores mediu a crescente taxa de branqueamento de recifes de coral (processo que pode levar à morte dos organismos) em vários locais dos trópicos nas últimas quatro décadas, um trabalho que nunca até hoje tinha sido feito.

O resultado, publicado na revista “Science”, mostra um encurtamento dramático do tempo que os corais vivem, colocando em risco o futuro desses ecossistemas.

“O tempo entre episódios de branqueamento em cada local diminuiu cinco vezes nas últimas três a quatro décadas, de uma vez a cada 25-30 anos no início dos anos 80, para uma média de apenas uma vez a cada seis anos desde 2010”, disse o principal autor do trabalho, Terry Hughes, do Centro de Excelência para o Estudo dos Recifes de Coral, Queensland, Austrália.

Antes dos anos 80 do século passado, acrescentou, o branqueamento maciço de corais não acontecia, mesmo em caso de condições extremas como as do El Nino (aquecimento anormal das águas do Pacífico). Mas actualmente “ataques sucessivos” à escala regional aos corais e a sua “mortalidade em massa” tornaram-se “normais” em todo o planeta, afirmou.

O estudo estabelece três períodos em relação à morte dos corais, um primeiro antes da década de 1980 quando o branqueamento só acontecia localmente, um segundo nos anos 1980 e 1990, com os primeiros registos de branqueamento em massa na fase de aquecimento das águas (El Nino), e um terceiro na actualidade, em que o branqueamento está sempre a acontecer.

Os investigadores dizem que as temperaturas dos mares tropicais estão hoje mais altas do que estavam há 40 anos durante os períodos de El Nino.

"O branqueamento dos corais é uma resposta ao stress causado pela exposição dos recifes a temperaturas elevadas do oceano. Quando o branqueamento é severo e prolongado muitos dos corais morrem. É preciso pelo menos uma década para os substituir, mesmo as espécies de mais rápido crescimento”, disse Andrew Baird, co-autor do estudo.

Segundo os autores do trabalho a Grande Barreira de Corais da Austrália foi branqueada quatro vezes desde 1998.

O branqueamento dos corais (seres com 400 milhões de anos) acontece devido ao aquecimento da água, que leva as algas que vivem em simbiose com os corais a deixar de fazer a fotossíntese. Quando as algas deixam de habitar com os corais estes ficam com uma cor clara, razão do nome branqueamento, e vão também perdendo nutrientes, acabando por morrer.

Os corais são pólipos que vivem em colónias e que segregam um esqueleto exterior calcário, formando recifes, que podem atingir grandes dimensões, como a Grande Barreira de Coral, na costa oriental da Austrália. - (dn.pt)

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction