Moçambique está a implementar reformas visando reduzir os constrangimentos que actualmente condicionam o rápido crescimento da cooperação com o Japão, na componente empresarial.

A garantia é do Vice-Ministro da Indústria e Comércio, Ragendra de Sousa, que ontem representou o Governo numa conferência económica Moçambique-Japão realizada em Maputo, durante a qual as partes reconheceram que, de uma forma geral, as relações económicas entre os dois países crescem a um ritmo nunca antes visto, sobretudo em sectores estratégicos como energia, comércio, infra-estruturas, agricultura e formação.

Apesar de ter identificado alguns constrangimentos concretos, como dificuldades na obtenção de vistos, excesso de burocracia nas instituições públicas e limitantes na contratação de mão-de-obra estrangeira, o embaixador do Japão, Toshio Ikeda, apontou Moçambique como um parceiro estratégico do seu país em África.

Na resposta, Ragendra de Sousa disse que todos os problemas identificados na trajectória da cooperação serão resolvidos à medida que forem sendo efectivas as reformas que o Governo moçambicano está a implementar de forma transversal visando reduzir a burocracia e melhorar o ambiente de negócios no país.

“O Governo está atento para tomar as medidas pontuais necessárias para criar um ambiente de negócios propício. Estamos atentos à demanda do sector privado para responder às necessidades que surjam, mas não aceitaremos, como governo, sair da economia”, referiu Ragendra de Sousa.

Outra oradora na conferência foi Luísa Diogo, presidente do Conselho de Administração do Barclays Bank Moçambique, que defende a manutenção da visão de cooperação que foi identificada pelos dois países, considerando que o nicho identificado é o melhor.

Moçambique, segundo Luísa Diogo, debate-se ainda com a falta de infra-estruturas estruturantes para que a economia seja competitiva ao nível regional e internacional pelo que quanto mais investimento surgir, nesta componente, melhor será para o país.

“Moçambique tem que investir na agricultura e o Japão tem tecnologia e experiência neste sector. Eu penso que o tipo de empresas japonesas que estão a entrar em Moçambique é o desejável a esta altura, no entanto se o volume de investimento pudesse crescer mais seria muito bom”, destacou.

Refira-se que as trocas comerciais entre Moçambique o Japão totalizaram, em 2016, cerca de 265 milhões de dólares norte-americanos. Deste montante, 165 milhões de dólares resultaram das exportações das empresas nipónicas para Moçambique e os restantes 100 milhões são dos produtos moçambicanos exportados para aquele país asiático.

Breves

Editorial

EDITORIAL
Sexta, 14 Julho 2017
Arranca oficialmente hoje na cidade de Xai-Xai e na vila da Macia, província de Gaza, a XIII edição do Festival Nacional dos Jogos Desportivos Escolares, um dos maiores eventos bienais que o país organiza. Estes festivais são uma das manifestações da... Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
NACALA-À-VELHA: A rota dos grandes investimentos
Quarta, 19 Julho 2017
DUAS novas centrais para conversão de gás natural em energia eléctrica, com potência estimada em 400 megawatts cada vão ser construídas no distrito de Nacala-à-Velha, facto que coloca novamente esta região, da província de Nampula, na órbita de grandes investimentos, depois da construção e... Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quizenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 60,16 61,29
ZAR 4,58 4,67
EUR 68,75 70,04

17.07.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

BALBÚRDIA é o substantivo que caracteriza, melhor, os primeiros dias ...
2017-07-20 06:06:53
TALVEZ seja pequeno demais para falar ainda sobre um dos embondeiros dos ...
2017-07-20 06:05:50
EM minha opinião, os comerciantes que vendem aos humanos produtos alimentares ...
2017-07-19 07:15:52
EM plena cidade de Paris, França, onde esteve de visita no passado dia 13 de ...
2017-07-19 07:14:12
“SE continuarmos unidos, nenhum vento nos vai abanar mas se estivermos ...
2017-07-19 07:12:41

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 2475 visitantes em linha