Director: Júlio Manjate   ||  Director(a) Adjunto(a): 

O IMPACTO do comércio fronteiriço na economia local vai a debate no 42º Conselho Consultivo do Banco de Moçambique, a ter lugar em finais deste mês na cidade de Lichinga, província do Niassa.

Num comunicado recebido na nossa Redacção, o Banco Central refere que o debate, agendado para 26 de Janeiro corrente, contará com a participação de representantes do governo local, do sector privado, da sociedade civil e outros convidados.

A anteceder o debate sobre o comércio fronteiriço, os primeiros dois dias do consultivo estão reservados à apresentação e análise de temas de carácter interno do Banco de Moçambique.

“O conselho consultivo é um órgão alargado de consulta do conselho de administração, que reúne ordinariamente uma vez por ano e extraordinariamente sempre que convocado pelo governador do BM, competindo-lhe apreciar questões de interesse relevante, não só para as actividades do Banco, bem como para a economia nacional”, refere o documento.

Acrescenta que, durante o conselho, serão apreciadas questões sobre a organização e funcionamento do Banco, além de fazer o balanço das actividades e programar acções futuras da instituição.

De referir que o evento terá lugar pouco depois de o governador do Banco de Moçambique, Rogério Zandamela, ter garantido que, em 2018, a política monetária será orientada para a manutenção de uma inflação baixa e controlada, ao nível de um dígito.

“Ao nível do sector financeiro, reforçaremos a vigilância prudencial, para monitorarmos os riscos potenciais que possam afectá-lo, bem como micro-prudencial, para que todas as instituições observem as boas práticas internacionais e cumpram rigorosamente com as nossas recomendações e normas”, disse Zandamela.

Ainda no âmbito dos esforços de manutenção da estabilidade financeira, o BM propõe-se introduzir reformas na legislação com o objectivo de mitigar o risco decorrente da crescente exposição das instituições financeiras nacionais às operações com o exterior.

“Submeteremos, igualmente, ao Governo uma proposta de revisão da lei das instituições de crédito e sociedades financeiras, mais ajustada a um regime de resolução bancária adequada para o caso moçambicano e seguindo as boas práticas internacionais, o que irá flexibilizar a nossa actuação em caso de necessidade de intervenção para correcção de situações de instabilidade das instituições de crédito”, afirmou Rogério Zandamela.

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction