O Banco Standard reviu hoje em baixa a previsão de crescimento económico de Moçambique, antecipando agora uma expansão de 2,7% este ano e de 3,5% no próximo ano por causa dos furacões, que atingiram o país.

“Os ciclones tropicais Idai e “Kenneth” causaram perdas humanas, danos nas infraestruturas e perturbações na produção, levando a uma revisão em baixa das nossas previsões de crescimento do PIB para os 2,7% este ano, o que representa mais uma descida face aos 3,7% previstos no início do ano e aos 2,5% previstos em Março”, lê-se no relatório de Junho sobre os Mercados Africanos.

O documento, enviado aos clientes e a que a Lusa teve acesso, alerta que a previsão de crescimento para o próximo ano também foi reduzida, de 3,9% para 3,5% do PIB, e vinca que “o rendimento disponível vai continuar pressionado, limitando a contribuição do consumo privado para o crescimento do PIB”.

No relatório, os analistas liderados pelo economista chefe do banco em Moçambique, Fáusio Mussá, escrevem que “apesar das melhorias na disciplina orçamental nos últimos anos, as pressões orçamentais continuam a caracterizar a economia, mais do que o início dos investimentos e das exportações de gás natural liquefeito”.

Sobre a questão da renegociação do pagamento da dívida pública, o Standard Bank escreve, que estas obrigações “vão continuar a limitar a capacidade do Governo para fazer despesa pública” e alertam que, “a curto prazo, o risco de uma pausa na consolidação orçamental aumentou”.

Os dois ciclones, que assolaram o país “deverão aumentar a despesa pública e limitar a tributação fiscal nas áreas afectadas, a que se junta o facto de haver eleições em Outubro, o que traz mais obrigações do lado da despesa”, sublinha o departamento de pesquisa económica do Banco Standard.

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction