Director: Júlio Manjate   ||  Director(a) Adjunto(a): 

A empresa mineira Vale, maior exportadora de carvão de Moçambique, apresenta hoje, em Maputo, os resultados do terceiro trimestre, em que é revista em baixa a produção para este ano.

"Como resultado da implementação contínua" de "mudanças estruturais", o objectivo de produção de carvão foi revisto "para aproximadamente 12 milhões de toneladas em 2018", lê-se no relatório de produção e vendas da Vale do terceiro trimestre, disponível na Internet.

A revisão acontece depois de, em Maio, a Vale ter anunciado que previa produzir este ano 15 milhões de toneladas de carvão, contra a meta de 16 milhões que havia planificado, devido a intempéries que afectaram a zona de produção em Moatize, na província de Tete.

A exportação de carvão tem sido um dos motores da economia moçambicana.

Aquando da primeira revisão das projecções de produção da Vale, o Ministro da Economia e Finanças admitiu que tal levaria a uma redução das perspectivas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) - que nos três primeiros trimestres deste ano se cifrou em 3,4%.

A empresa teve que lidar também, no último mês, com a paralisação de "um terço das suas operações", correspondente a "uma de quatro secções da mina de Moatize", depois de a população se queixar de detonações prejudiciais à saúde e com níveis de poluição acima do tolerável.

No entanto, em declarações à Lusa, a Vale esclareceu que a situação tinha "impacto reduzido" na sua produção.

 

 

Comments

A Bolsa de Valores de Moçambique (BVM) acaba de reforçar as capacidades de gestão das empresas em processo de admissão e as já cotadas, com vista a tirar maiores vantagens das oportunidades existentes no mercado de capitais. Leia mais

Comments

A maioria dos Estados-membros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) registou, em Agosto último, aumentos na taxa de inflação mensal, com excepção das Maurícias, Seychelles, África do Sul e Tanzania. Leia mais

Comments

O Standard Bank e a multinacional italiana Eni vão apoiar pequenas e médias empresas moçambicanas no desenvolvimento de programas para o acesso ao mercado de negócios, segundo um memorando assinado ontem entre as instituições.

"As partes vão colaborar no apoio e desenvolvimento do ecossistema de empreendedorismo, incluindo actividades de estímulo à criação da cadeia de fornecimento local, programas de desenvolvimento de competências e de transferência de conhecimentos e técnicas que facilitem o acesso aos mercados", lê-se num comunicado ontem distribuído à imprensa.

O programa vai promover, através da capacitação, o acesso a metodologias de ideias de negócio e influenciar uma cultura mais favorável ao empreendedorismo, bem como ajudar as pequenas e médias empresas na criação de novos negócios em sectores de interesse nacional, não se limitando à indústria extrativa, acrescenta o documento.

Numa primeira fase, o programa vai incidir na província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, que tem estado entre as principais referências para investir em Moçambique, com a chegada de multinacionais na exploração de gás natural na região.

"Através desta parceria, o Standard Bank, como um banco implantado no país há mais de 124 anos, vai usar a sua experiência e capacidade para ajudar empresas moçambicanas a crescer e a ter acesso aos mercados", disse o administrador delegado, Chuma Nwokocha, momentos após a assinatura do documento em Maputo, citado no comunicado.

Comments

As autoridades distritais de Ribáuè, na província de Nampula, e parceiros estão a investir para o fortalecimento da produção agrícola, tendo em vista, sobretudo, a melhoria das condições de segurança alimentar. Leia mais

Comments
Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction