A DEFESA da ex-Presidente da Coreia do Sul negou hoje, terça-feira, todas as acusações de que Park Geun-hye foi acusada na sessão preliminar do julgamento pelo seu papel no caso de corrupção que envolve uma amiga.

Park, de 65 anos, cuja presença em tribunal não era obrigatória hoje, não assistiu à primeira sessão do julgamento.

O advogado Yoo Yeong-ha, que lidera a equipa de defesa, reiterou a inocência da ex-Presidente e pediu para analisar o sumário da investigação realizada pelo Ministério Público sobre o caso, que conta com mais de 120.000 páginas.

O advogado argumentou que podem existir várias inconsistências e disse que o Ministério Público assumiu, durante a investigação, que Park continuou a exercer as funções presidenciais até Março, embora o parlamento a tenha destituído em Dezembro, uma decisão que o Constitucional a tornaria efectiva a 10 de Março.

Esta primeira sessão destinava-se a rever as acusações contra Park e começar a estabelecer as datas para os diferentes testemunhos.

O tribunal do distrito central de Seul, que julga o caso, deverá realizar duas ou três sessões preparatórias antes de uma primeira sessão formal prevista para Junho.

Park, em prisão preventiva desde 31 de Março, é acusada de 18 crimes, incluindo revelação de segredos do Estado, coação, abuso de poder e suborno, um crime que a Coreia do Sul castiga com um mínimo de dez anos de cadeia, até prisão perpétua.

O Ministério Público considerou provado que Park criou uma rede com a amiga Choi Soon-sil, conhecida como a "Rasputina", pela influência exercida sobre a ex-Presidente, através da qual, entre outras coisas, solicitou e obteve subornos de pelo menos três grandes grupos empresariais, avaliados em cerca de 50 milhões de dólares.

O caso abalou os fundamentos políticos e económicos da Coreia do Sul, uma vez que entre os detidos encontram-se directores executivos de grandes empresas, incluindo o da Samsung, cujo herdeiro é vice-presidente, Lee Jae-yong, em prisão preventiva desde Fevereiro.

Esta foi a primeira vez que a Coreia do Sul destituiu um Presidente democraticamente eleito.

Mais recentes

Breves

Editorial

EDITORIAL
Sexta, 15 Dezembro 2017
A ASSEMBLEIA da República aprovou, esta semana, as propostas do Plano Económico e Social (PES) e do Orçamento do Estado (OE) para 2018. Trata-se de dois instrumentos importantes que vão orientar a acção governativa no próximo ano, com o intuito de... Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
Reinserção social em Sofala: Implementação de...
Quinta, 14 Dezembro 2017
Cerca de 14.800 combatentes registados na província central de Sofala, entre desmobilizados de defesa da soberania e democracia e veteranos da luta de libertação nacional, estão a melhorar as suas condições de vida, com a implementação, nos últimos tempos, de múltiplos projectos de reinserção social. Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quinzenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,55 60,70
ZAR 4,37 4,45
EUR 69,97 71,32

15.12.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

HÁ uns anos um deputado da Assembleia da República, meu amigo,  ...
2017-12-15 23:30:00
IMPLICÂNCIA sem motivos. É comum não nutrirmos simpatia por ...
2017-12-15 23:30:00
AS FESTAS!... EM boa verdade elas, sobretudo as que se avizinham, são ...
2017-12-14 23:30:00
DEFINITIVAMENTE  não sou dono do meu tempo. Nunca fui, e jamais serei. ...
2017-12-14 23:30:00
TERMINEI o último artigo manifestando pesar pelo facto de as obras de ...
2017-12-14 23:30:00

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 1967 visitantes em linha