CERCA de 56 milhões de iranianos votam hoje, sexta-feira, nas eleições presidenciais disputadas entre o moderado Hassan Rohani e o conservador Ebrahim Raissi.

Rohani, eleito em 2013 candidato à reeleição, conseguiu quebrar o isolamento do país, chegando a reunir-se com o anterior Presidente dos EUA, Barack Obama, embora a eleição de Donald Trump para o cargo tenha suscitado receios, que na campanha disse que iria “rasgar o acordo nuclear”.

Favorito na corrida, Rohani conseguiu congregar o apoio de destacados reformadores - como Mehdi Karubi, Mir Hossein Mussavi, em prisão domiciliária desde 2009, e Mohammad Khatami -, ao colocar as liberdades e as reformas no centro da campanha.

Já o tinha feito em 2013, mas alega “a intransigência do poder judicial e dos serviços de segurança” para justificar a continuação das detenções de jornalistas, estudantes e artistas nestes quatro anos.

Contra ele corre Ebrahim Raissi, um conservador que analistas consideram ambicionar, mais que a presidência, a sucessão ao guia supremo, Ali Khamenei, a quem competem todas as grandes decisões.

Khamenei, que sucedeu ao ‘ayatolah’ Khomeini em 1989, está com 77 anos e alguns problemas de saúde.

As presidenciais são disputadas por mais um candidato, o conservador Mostafa Mirsalim, depois das desistências nos últimos dias dos reformadores Mostafa Hashemitaba e Es-Hagh Jahanguiri, que apelaram ao voto em Rohani, e do presidente da câmara de Teerão, conservador, Bagher Qhalibaf, que pediu o voto em Raissi.

O poder no Irão é controlado por vários órgãos e as grandes decisões tomadas pelo guia supremo, mas o Presidente, eleito por sufrágio universal, tem alguma margem, designadamente na política económica e a economia é a principal questão em jogo nesta eleição.

Versão-Impressa


Breves

Editorial

EDITORIAL
Sexta, 19 Maio 2017
O Conselho Constitucional declarou, há dias, inconstitucional a norma que confere ao ministro do pelouro do Trabalho a prerrogativa de revogar a autorização de trabalho de cidadãos estrangeiros. Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
Regadio de Chimunda: Atraso no funcionamento...
Terça, 23 Maio 2017
CAMPONESES da região de Chimunda, arredores de Nova Mambone, vila-sede de Govuro, província de Inhambane, deploram o atraso no início do funcionamento do sistema de regadio construído na zona para fazer face à seca cíclica que inviabiliza melhores rendimentos agrícolas. Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quizenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 60,10 61,27
ZAR 4,57 4,65
EUR 67,42 68,73

23.05.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

O MEU amigo Leonel Magaia publicou, há dias, no seu mural do Facebook, uma ...
2017-05-22 23:30:00
HÁ mais de ano e meio que não vou a Mafavuka e quase que em ...
2017-05-22 23:30:00
ATÉ hoje, acreditávamos que os desportos equestres eram praticados em ...
2017-05-22 06:11:05
ESTAVA eu a acompanhar o noticiário de uma das estaçoes televisivas do ...
2017-05-22 06:08:06
HOJE não tenho nenhum assunto para escrever. E como não tenho assunto ...
2017-05-22 06:03:08

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 2061 visitantes em linha