O PRESIDENTE da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, disse na quinta-feira que não vai demitir o governo de Umaro Sissoco Embaló até que o seu plano de acção seja apreciado no parlamento, para que se saiba se é aprovado ou não pelos deputados.

José Mário Vaz respondeu, de forma implícita, às exigências da comunidade internacional, que o tem instado a nomear um novo Governo com um primeiro-ministro que seja consensual a todas as forças políticas.

“Se o parlamento não der abertura para que o programa do Governo seja votado, então não derrubarei este governo”, afirmou José Mário Vaz, num comício popular em Bissau, no âmbito do encerramento das presidências abertas.

O parlamento guineense tem estado bloqueado há cerca de um ano, devido às divergências entre os dois principais partidos, PAIGC e PRS, quanto à fórmula para o agendamento dos debates dos diplomas e temas de governação do país.

José Mário Vaz explicou que escolheu Umaro Sissoco Embaló para primeiro-ministro, não por este ser muçulmano, mas sim por ser guineense e por acreditar que ele conta com o apoio da maioria dos deputados no parlamento.

“Abram o parlamento para que se saiba quem tem a maioria”, exigiu José Mário Vaz, merecendo aplausos dos presentes no comício realizado à noite no bairro de Ajuda, em Bissau.

O líder guineense destacou que, com a sua presidência e com o Governo de Umaro Sissoco Embaló, a Guiné-Bissau “vai para frente”, mas desde que o dinheiro do Estado seja colocado nos cofres do Estado.

A Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO) deu um ultimato aos actores políticos guineenses para que cumpram com o Acordo de Conacri até o próximo dia 25 deste mês, caso contrário promete sancionar aqueles que impediram a implementação do documento.

O Acordo de Conacri é um instrumento patrocinado pela CEDEAO, com o qual a comunidade pretende acabar com o impasse político na Guiné-Bissau. No essencial visa a formação de um novo Governo, liderado por um primeiro-ministro de consenso.

Breves

Editorial

Editorial
Sexta, 18 Agosto 2017
A NOTÍCIA sobre a suspensão da importação, pela Índia, do feijão-bóer caiu que nem uma bomba para todos quanto investiram na cadeia de valor deste produto, por terem acreditado que se estava perante uma grande oportunidade para ter algum rendimento. Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
Nampula em foco: Tijolo a tijolo Murrupula vai...
Quinta, 17 Agosto 2017
O DISTRITO de Murrupula, na província de Nampula, está a implementar um programa de massificação de uso de tijolo queimado na construção de infra-estruturas, com destaque para habitações da população, escolas, unidades sanitárias e estabelecimentos comerciais, facto que se reflecte na mudança da vida do distrito. Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quizenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 60,73 61,93
ZAR 4,52 4,61
EUR 71,32 72,73

08.08.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

A IMPRENSA moçambicana tornou público recentemente, a possibilidade de ...
2017-08-17 23:30:00
HOJE queremos, neste espaço, homenagear milhares de crianças ...
2017-08-16 23:30:00
DIZEM alguns estudiosos que a variável mais forte que causa a pobreza num ...
2017-08-16 23:30:00
NELITO Fernando Chilundo, solteiro de 41 anos de idade, titular da carta de ...
2017-08-16 23:30:00

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 2403 visitantes em linha