Imprimir
Categoria: Internacional
Visualizações: 887

O EX-PRESIDENTE brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva foi ontem condenado a nove anos e meio de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, pelo juiz Sergio Moro.

“Entre os crimes de corrupção e de lavagem, há concurso material, motivo pelo qual as penas somadas chegam a nove anos e seis meses de reclusão, que reputo definitivas para o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva", disse o juiz, de acordo com o jornal Estadão.

É a primeira vez que um antigo Presidente brasileiro é condenado por corrupção.

Lula da Silva é ainda arguido em várias ações que envolvem a operação Lava Jato. Num destes processos, o ex-Presidente é acusado de ter supostamente recebido vantagens indevidas da construtora OAS através da compra de um apartamento de luxo na cidade de Guarujá, no litoral.

Lula da Silva também é acusado de receber um terreno da construtora Odebrecht como forma de suborno para, em troca, favorecer os interesses da empresa perante o Governo brasileiro.

Foi também dado como provado que Lula recebeu mais de um milhão de dólares do grupo OAS.

O ex-Presidente sempre negou todas as acusações contra si e declarou, em diversas oportunidades, que é vítima de perseguição de membros da operação Lava Jato e do aparelho judicial brasileiro.

No entanto, esta decisão não enviará imediatamente Lula para a cadeia, porque Moro é um juiz de primeira instância e, de acordo com o Supremo Tribunal Federal, as penas dadas por elementos da justiça de primeiro grau só entram em vigor se confirmadas por uma entidade judicial superior.

Conforme explica a revista Veja, Lula da Silva será apenas preso caso seja condenado pela 8.ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região. Esta é composta pelos juízes desembargadores João Pedro Gebran, Leandro Paulsen e Victor Laus, responsáveis pela revisão das decisões de Sergio Moro. (adaptado/ dn.pt e Veja)