AS autoridades de Angola e da República Democrática do Congo (RDCongo) deverão reunir-se, em breve, para analisar se existem condições para iniciar o regresso de mais de 31 mil refugiados congoleses que se encontram em território angolano.

A informação foi avançada pelo ministro das Relações Exteriores de Angola, Georges Chikoti, no final da primeira reunião ministerial extraordinária do Mecanismo Tripartido de Diálogo e Cooperação entre Angola, África do Sul e República Democrática do Congo, realizada semana finda em Luanda.

O chefe da diplomacia angolana referiu que foi orientada a realização de um encontro, em local ainda por definir, dos governadores das províncias angolana da Lunda Norte e congolesa de Kasai, zona de origem de mais de 31 mil refugiados que em finais de Março procuraram segurança em território angolano devido a conflitos étnicos e políticos.

Segundo o ministro, os dois governadores vão reunir-se para analisar todos os aspectos que têm a ver com a estabilidade da RDCongo.

“Se for consenso que há de facto condições de paz, naturalmente que esses refugiados poderão começar a regressar para o seu país porque também fazem parte da população congolesa que deve ser registada para as próximas eleições”, referiu o ministro.

Chikoti disse que a reunião deverá ser agendada muito em breve porque já foram dadas as instruções para fazerem o encontro, mas tem de haver uma preparação técnica porque são vários sectores que vão participar.

O mecanismo tripartido foi criado em 2013 pelos Presidentes de Angola, José Eduardo dos Santos, da África do Sul, Jacob Zuma, e da RDCongo, Joseph Kabila, para a conjugação de esforços com vista à consolidação da paz e estabilidade no país francófono.

Angola acolhe desde finais de Março milhares de refugiados da RDCongo provenientes das províncias de Kasai e Kasai central, que procuraram refúgio em território angolano, mais concretamente na província da Lunda Norte, devido ao conflito que se regista nas suas zonas de origem.

Os refugiados congoleses, na sua maioria crianças, algumas das quais sem familiares, encontram-se distribuídos por dois centros provisórios na cidade do Dundo, capital da província da Lunda Norte.

Mais recentes

Breves

Editorial

EDITORIAL
Sexta, 15 Dezembro 2017
A ASSEMBLEIA da República aprovou, esta semana, as propostas do Plano Económico e Social (PES) e do Orçamento do Estado (OE) para 2018. Trata-se de dois instrumentos importantes que vão orientar a acção governativa no próximo ano, com o intuito de... Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
Reinserção social em Sofala: Implementação de...
Quinta, 14 Dezembro 2017
Cerca de 14.800 combatentes registados na província central de Sofala, entre desmobilizados de defesa da soberania e democracia e veteranos da luta de libertação nacional, estão a melhorar as suas condições de vida, com a implementação, nos últimos tempos, de múltiplos projectos de reinserção social. Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quinzenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,55 60,70
ZAR 4,37 4,45
EUR 69,97 71,32

15.12.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

HÁ uns anos um deputado da Assembleia da República, meu amigo,  ...
2017-12-15 23:30:00
IMPLICÂNCIA sem motivos. É comum não nutrirmos simpatia por ...
2017-12-15 23:30:00
AS FESTAS!... EM boa verdade elas, sobretudo as que se avizinham, são ...
2017-12-14 23:30:00
DEFINITIVAMENTE  não sou dono do meu tempo. Nunca fui, e jamais serei. ...
2017-12-14 23:30:00
TERMINEI o último artigo manifestando pesar pelo facto de as obras de ...
2017-12-14 23:30:00

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 1967 visitantes em linha