O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, abordou na terça-feira ao telefone com a primeira-ministra britânica, Theresa May, “formas de negar ao Irão todos os caminhos em direcção a uma arma nuclear”, informou a Casa Branca.

“O Presidente Trump sublinhou a necessidade de trabalharem juntos para responsabilizar o regime iraniano pelas suas actividades maliciosas e desestabilizadoras, especialmente pelo seu patrocínio do terrorismo e pelo desenvolvimento de mísseis ameaçadores”, indicou a Casa Branca num breve comunicado.

A conversa telefónica mantida com May insere-se na decisão da administração norte-americana liderada por Trump no sentido de rever o acordo nuclear que os Estados Unidos, o Reino Unido, a França, a Alemanha, a China e a Rússia firmaram com o Irão, em 2015, sob a presidência de Barack Obama.

A administração de Trump tem que decidir antes do próximo dia 15, domingo, se atesta – ou não – que o Irão está a cumprir os termos do acordo, que impõe restrições às suas capacidades nucleares em troca do alívio das sanções que lhe foram impostas.

O Presidente norte-americano tem criticado repetidamente o pacto – considerado histórico –, qualificando-o como “o pior acordo” que já viu.

No entanto, o acordo tem provocado um aceso debate no seio da própria administração dos Estados Unidos, com alguns altos funcionários a defenderem-no no interesse de evitar uma nova escalada de tensões com Teerão.

A decisão de Trump não implica a saída dos Estados Unidos do acordo com o Irão, mas abre um processo que pode resultar na retoma das sanções a Teerão pelo programa nuclear, um passo que provavelmente representaria o fim do acordo que une esses dois países e as outras cinco potências.

Trump deve informar o Congresso dentro de dez dias sobre se o Irão está a cumprir com as suas obrigações ao abrigo do acordo multilateral e se continuar com o mesmo é do interesse dos Estados Unidos.

Essa determinação abriria caminho a uma revisão de 60 dias no Congresso dos Estados Unidos, que deveria considerar os “próximos passos” relativamente ao acordo, incluindo a eventual imposição de sanções.

Na terça-feira, o diretor da agência de Energia Atómica do Irão advertiu os Estados Unidos para os riscos de comprometer o acordo nuclear, entre os quais o de prejudicar os esforços de não-proliferação e a posição global de Washington.

Ali Akbar Salehi, que falava numa conferência internacional sobre segurança nuclear, frisou que as recentes posições norte-americanas “ilusórias e negativas” não permitem “augurar nada de bom” em relação ao acordo.

Breves

Editorial

EDITORIAL
Sexta, 20 Outubro 2017
O PRESIDENTE da República, Filipe Nyusi, manifestou há dias, e de forma particularmente severa, a sua preocupação em relação aos elevados índices de corrupção que se registam no país, tanto no sector público quanto no... Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
Embaixador da Rússia afirma: Se não tivéssemos...
Segunda, 23 Outubro 2017
DOS conflitos internacionais à política Russa para África, muitos temas podem ser assunto numa conversa com um representante de uma potência mundial. Foi isso que aconteceu na nossa conversa com o embaixador da federação russa em Moçambique. Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quinzenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 60,70 61,84
ZAR 4,43 4,51
EUR 71,53 72,88

11.10.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

LOCALIZADA no extremo norte da província de Cabo Delgado, fazendo fronteira ...
2017-10-22 23:30:00
FRETILIN é nome de um dos movimentos que lutaram pela independência de ...
2017-10-22 23:30:00
NA semana passada vimos mais um acto mediatizado de demolições de ...
2017-10-22 23:30:00

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 1836 visitantes em linha