Director: Júlio Manjate   ||  Director(a) Adjunto(a): 

OLIVER “Tuku” Mtukudzi, a estrela da música zimbabweana e, porque não, africana, completa exactamente hoje 66 anos de vida - uma vida de sucesso, diga-se.

Por essa razão e como minha singela homenagem, decidi resgatar uma crónica que escrevi há vários anos inspirado numa de entre várias entrevistas que o artista me concedeu, numa das suas demais passagens pela cidade da Beira.

Para um artista, ou para uma pessoa com o sucesso que fez ou faz, Tuku é, para mim, a personificação da humildade e da simplicidade.

E se a humildade ainda é a parte mais bela da sabedoria, como o provérbio enuncia, só posso dizer que Tuku é um homem de sabedoria, não raras vezes plasmada nas suas composições.

Aliás, numa dessas entrevistas lembro-me de ter dito que até pastores têm citado as suas letras nas suas homilias. Fantástico!

Trago hoje uma das lições de Tuku, muito a propósito da fama.

Diz o artista que muitos jovens talentosos matam as suas próprias carreiras logo à nascença por falta de humildade. A fama também mata! Defende e exemplifica:

 Se fazem uma música de sucesso, colocam-se logo no lugar dessa música. Passam eles a serem mais importantes do que a música. Eles nessa altura é que vão à frente.

 Atenção: as pessoas gostam do nosso trabalho, gostam do produto e da qualidade do nosso trabalho, não gostam de nós!

 São capazes de te ignorar e virar mesmo a cara numa paragem de mini-bus, por exemplo, acelerando até as tuas luxuosas e potentes viaturas a caminho de uma qualquer discoteca ou de um espectáculo onde vão ouvir e dançar a tua música!

Temos que ter cuidado, gostam da nossa música! Não gostam de nós!

O que os jovens têm que fazer então? Eis a questão!

Deixar a sua música brilhar! Voltem para casa e se dediquem mais ao trabalho. Não se ponham no lugar da vossa música, do vosso trabalho ou do produto do vosso trabalho.

Pessoalmente, luto todos os dias por ser o mesmo Oliver Mtukudzi que saiu do ventre da minha mãe. O que pode mudar ou mudou e espero que continue a mudar é a qualidade do meu trabalho. Eu sou o mesmo!

Para que eu percebesse melhor, Tuku não me poupou. Nos seguintes termos:

Mesmo tu, como jornalista, pensas que as pessoas gostam de ti? Nem sempre. Gostam daquilo que fazes, meu caro. Sabem que podes promove-las, podes falar publicamente bem delas, mas podes ter a certeza que no dia em que deixares de ser jornalista, acabou!

Escusado dizer que só tinha que concordar com ele. Não podia estar tão certo.

Calaram-me realmente muito fundo estas palavras do grande Tuku.

 Lembrei-me então dos muitos exemplos que tenho no meu pais de jovens talentosos que se precipitam e acabam atrapalhando as suas próprias carreiras porque o que lhes falta na humildade lhes sobra na arrogância.

Obrigado, Tuku, por estas lições de vida. Muitos parabéns pelos teus 66 anos e que continues a nos brindar com a tua boa música e com a tua humildade.

Eliseu Bentoa

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction