Director: Júlio Manjate   ||  Director(a) Adjunto(a): 

Opinião

Politica

A PRESIDENTE da Assembleia da República, Verónica Macamo Ndlovu, desafiou os parlamentos africanos a apoiarem o combate efectivo à corrupção, com ...

terça, 23 outubro 2018
Leia +

Autárquicas 2018

O Embaixador da Alemanha em Moçambique, Detlev Wolter, considera as quintas eleições autárquicas realizadas no passado dia 10 de Outubro corrente, como terem decorrido num ...

quarta, 17 outubro 2018
Leia +

Economia

O BANCO de Moçambique decidiu manter a taxa de juro de política monetária (taxa MIMO) em 15 por cento, travando a tendência de descida que vinha se verificando desde Abril ...

terça, 23 outubro 2018
Read more
Pub
SN

Desporto

O FERROVIÁRIO de Maputo, campeão nacional em título, perdeu ontem, por 64-74, com o Petro de Luanda, na estreia do Grupo “B”, da frase zonal VI de ...

terça, 23 outubro 2018
Leia +

Nacional

O MINISTÉRIO da Educação e Desenvolvimento Humano (MINEDH) adquiriu e distribuiu até Fevereiro último, na província de Nampula, 11.012 carteiras duplas, ...

terça, 23 outubro 2018
Leia +

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou ontem que ordenou a expulsão do encarregado de negócios e do chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respectivamente.

Nicolás Maduro falava em Caracas, na sede do Conselho Nacional Eleitoral, onde foi proclamado Presidente da Venezuela para o período 2019-2025.

“Devem ir (embora) do país, em 48 horas. Em defesa da dignidade venezuelana. Já basta, que vão. Não querem entender que a Venezuela é livre”, disse.

De acordo com a Lusa, o presidente da Venezuela anunciou ainda que nos próximos dias apresentará as provas “da conspiração no campo militar, económico e político, do encarregado de negócios dos EUA e da sua embaixada”.

“Era um conspirador activo, abusando, violando a lei internacional de maneira descarada (...) mais de 10 notas de protesto foram entregues para exigir rectificação”, frisou.

Por outro lado, referiu-se às sanções anunciadas segunda-feira por Washington contra o seu país e denunciou que a Venezuela é vítima de uma ameaça nunca antes vista.

“Eu digo ao Governo de Donald Trump, do Ku Klux Klan, que nem com sanções, nem com ameaças, nem com conspirações, travaram as eleições que decorreram de forma bem-sucedida (...) e que não deterão a Venezuela”, frisou.

Nicolás Maduro disse ainda que tem sido “o presidente mais ameaçado e agredido da história da Venezuela”.

“E, aqui estou em pé, seguro do destino da nossa pátria (...) aqui ninguém se rende a ninguém. A Venezuela é livre, soberana e independente”, vincou.

Antes, num comunicado divulgado pelo Ministério de Relações Exteriores, o Governo venezuelano acusou os EUA de intensificarem o que classificou como “criminoso bloqueio financeiro e económico contra a Venezuela”, um dia depois de Donald Trump assinar uma ordem executiva limitando a capacidade das autoridades de Caracas para vender dívida e activos públicos.

O Presidente Nicolás Maduro venceu, oficialmente, as eleições presidenciais antecipadas de domingo com 5.823.728 votos (67,7%).

O dissidente do regime Henri Falcon obteve 1.820.552 votos, o pastor evangélico Javier Bertucci obteve 925.042 e o engenheiro Reinaldo Quijada totalizou 34.6714 votos, indicou o CNE.

De acordo com o CNE foram registados 8.603.936 votos válidos, que correspondem a uma participação de 46% dos 20.527.571 eleitores inscritos.

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction