O DIÁLOGO político para a paz em Moçambique está a ser conduzido com transparência, cautela e toda a responsabilidade possível, tudo para evitar o surgimento de mal-entendidos que conduzam os moçambicanos a novas confrontações armadas.

Esta mensagem foi avançada ontem pelo presidente da República, Filipe Nyusi, nos comícios que orientou nas localidades de Inhassune e Mussengues, distritos de Panda e Mabote, no quadro da visita de trabalho que efectua à província de Inhambane.

O Chefe do Estado defendeu que o patriotismo éfundamental para que todo este processo corra a contento. Chamou atenção aos jovens, políticos, intelectuais, académicos e toda a população moçambicana para, sempre que fizerem abordagens, análises ou dissertações em torno das soluções exequíveis para o restabelecimento da paz para o país, façam-no sem perder de vista o sentido de pátria.

“Tanto quanto eu, acho que Dhlakama também tem muita pressa de ver alcançada a paz no país, factor crucial para se relançar o desenvolvimento, mas estamos a abordar o processo com muito cuidado. Não queremos assinar vários acordos. Queremos apenas um, cujo impacto seja a paz definitiva, efectiva e duradoira”, afirmou o Presidente da República.

Filipe Nyusi acrescentou que Moçambique deve ser um país normal, igual a outros países da região e do mundo que desde a proclamação das suas independências políticas nunca voltaram a pegar em armas para resolver as suas diferenças políticas.

“Para isso, énecessário que o diálogo em curso não seja apenas ao nível mais alto, mas que seja a todos os níveis…”, sublinhou.

Nyusi apontou como sendo chave para o alcance deste objectivo uma atitude de patriotismo dos moçambicanos que, segundo disse, devem exaltar e colocar Moçambique em primeiro lugar, sem no entanto desligá-lo da política internacional, onde se pode buscar inspiração para vários desafios que o país ainda enfrenta.

“Moçambique é muito rico, mas não tem a tranquilidade necessária para transformar os recursos que tem em riqueza. Precisamos consolidar a unidade nacional, o espírito de reconciliação; precisamos aprofundar a nossa democracia para atrair investidores que virão explorar as oportunidades de negócio com impacto no desenvolvimento do país”, explicou o Presidente.

O Chefe do Estado voltou a pedir calma e paciência aos moçambicanos, sustentando que o longo e sinuoso caminho da busca da independência total e completa que o país vem percorrendo há cerca de meio século “deve chegar ao fim de uma vez para sempre”.

“Não nos devemos desviar do foco principal na busca da paz. É preciso concentrarmo-nos no essencial porque a guerra nos prejudica. Precisamos trabalhar para o alcance da paz e sossego, para que amanhã não haja nenhum motivo de discórdia que degenere em novas confrontações armadas”, sublinhou Filipe Nyusi.

O Presidente cumpre hoje o terceiro e último dia da sua visita de trabalho à província de Inhambane.

Breves

Editorial

EDITORIAL
Sexta, 15 Dezembro 2017
A ASSEMBLEIA da República aprovou, esta semana, as propostas do Plano Económico e Social (PES) e do Orçamento do Estado (OE) para 2018. Trata-se de dois instrumentos importantes que vão orientar a acção governativa no próximo ano, com o intuito de... Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
Reinserção social em Sofala: Implementação de...
Quinta, 14 Dezembro 2017
Cerca de 14.800 combatentes registados na província central de Sofala, entre desmobilizados de defesa da soberania e democracia e veteranos da luta de libertação nacional, estão a melhorar as suas condições de vida, com a implementação, nos últimos tempos, de múltiplos projectos de reinserção social. Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quinzenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,55 60,70
ZAR 4,37 4,45
EUR 69,97 71,32

15.12.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

HÁ uns anos um deputado da Assembleia da República, meu amigo,  ...
2017-12-15 23:30:00
IMPLICÂNCIA sem motivos. É comum não nutrirmos simpatia por ...
2017-12-15 23:30:00
AS FESTAS!... EM boa verdade elas, sobretudo as que se avizinham, são ...
2017-12-14 23:30:00
DEFINITIVAMENTE  não sou dono do meu tempo. Nunca fui, e jamais serei. ...
2017-12-14 23:30:00
TERMINEI o último artigo manifestando pesar pelo facto de as obras de ...
2017-12-14 23:30:00

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 1451 visitantes em linha