Director: Júlio Manjate   ||  Directora Adjunta: Delfina Mugabe

O FERROVIÁRIO de Maputo recebeu e derrotou ontem, no Estádio da Machava, a Liga Desportiva, por 1-0, e alargou a vantagem sobre os concorrentes ao primeiro lugar do “Moçambola”. Em desafio da 10ᵃ jornada, os “locomotivas” redimiram-se do afastamento da Taça de Moçambique e regressaram às vitórias e ao lugar prioritário definido para este ano.

A equipa de Nélson Santos, não só venceu um concorrente directo, como se beneficiou também da derrota do Chibuto diante do Maxaquene, pelo mesmo resultado, no Estádio Nacional do Zimpeto, e do empate sem golos em Gondola entre os dois clubes da província de Manica: Universidade Pedagógica e Textáfrica. Também não houve golos nos jogos Incomáti-ENH e Sporting-1ᵒ de Maio. A União Desportiva do Songo regressou finalmente à casa e bateu o Ferroviário de Nacala, por 3-1, enquanto na Bela Vista o Desportivo de Nacala superou o Ferroviário da Beira, por 1-0. Sábado, o Costa do Sol regressou às vitórias e a vítima foi o Ferroviário de Nampula, também por 1-0.

O “Moçambola vai sofrer um interregno de duas semanas para dar lugar à participação da Selecção Nacional no Torneio da Cosafa, a decorrer na África do Sul.

FER. MAPUTO, 1 - LIGA DESPORTIVA, 0: Pinto negou tantos outros

SALVADOR NHANTUMBO

SEM dúvidas que o Ferroviário foi estrategicamente superior em termos ofensivos e o resultado peca por ser escasso, isso por culpa do guarda-redes Pinto, que respondeu com grandes defesas às investidas do adversário. 

Os “locomotivas” foram tão eficazes no seu esquema ofensivo e não foi por acaso que dominaram completamente a primeira parte, durante a qual a Liga apenas teve um único lance assinalável, quando Telinho convidou Daínho para um remate frouxo, tendo o esférico saído quase a beijar o poste, aos 25 minutos. Antes e depois deste lance, o Ferroviário passeou a classe, primeiro com Diogo a chamar à atenção de Pinto, que evitou o pior com uma palmada para canto. Foi o prenúncio do golo de Ussama. Excelente visão de Sidique, que com um cruzamento tenso colocou o esférico na cabeça de Liberty, no segundo poste. O zimbabwenao encostou a bola com a testa para o interior da pequena área, donde apareceu Ussama a cabecear a contar, à passagem do minuto 15. O tento era o corolário de um arranque fulminante acompanhado também por uma boa organização táctica. As oportunidades foram surgindo com tamanha naturalidade. Ao esquerdino Diogo foi negado o golo com uma defesa de recurso de Pinto para canto, aos 18 minutos, num ressalto após a uma tentativa de remate de Elias Macamo, que foi uma das figuras notáveis no ataque “locomotiva”. Elias não se conformou e noutra tentativa de marcar viu a bola a ser devolvida pelo poste com um remate arrancado entre “centrais” da Liga no interior da pequena área, aos 35 minutos. A Liga tentou reagir já a fechar a etapa inicial, arrancando alguns lances de bola parada, mas sem sucesso.

A segunda parte começa com uma Liga diferente. Lutou, mas não conseguiu conquistar o último terço dos “locomotivas”, graças a também excelente organização defensiva da equipa da casa. Nas poucas vezes que conseguiu lá chegar, Daínho forçou Frank a uma defesa apertada para canto, aos 55 minutos. Grande assistência do “capitão” Mahomed Hagi, em contra-ataque. Houve mais duas tentativas de visar a baliza da Liga protagonizadas por Mário e Kelo. Na primeira, Pinto negou o golo com uma defesa para canto e na ocasião seguinte a bola foi novamente devolvida pelo poste.

Mesmo com as alterações feitas, a Liga não conseguiu igualar a partida bem dirigida por Arlindo Nuvunga.

FICHA TÉCNICA

ÁRBITRO: Arlindo Nuvunga, auxiliado por Ivo Muiambo e Cláudio Macamo. O quarto árbitro foi António Munguambe.

FER. MAPUTO – Frank; Sidique, Chico, Jeitoso e Mitter; Loló, Liberty, Ussama e Diogo (Paulo); Elias Macamo (Mário) e Kelo (Shaquille).

LIGA DESPORTIVA – Pinto; Infren, Gerson, Hermínio e Gervásio; Momed Hagy, Daínho (Nonó), Bongue (Yude) e Neymar; Telinho e Sonito (Kabine).

 

ACÇÃO DISCIPLINAR: cartões amarelos para Diogo e Ussama, do Ferroviário; e Neymar.     

MAXAQUENE, 1 - CHIBUTO, 0: Bomba de Bruno e magnífico Zacarias

Ivo Tavares

TARDE de domingo de festa para os “tricolores”, numa partida que teve dois momentos decisivos. O primeiro foi o golo de Bruno e depois a defesa de Zacarias, que impediu o golo de empate do Chibuto. Ambos sucederam-se na segunda parte, período em que houve emoção, após uma primeira parte muito mal jogada de parte a parte, embora o Maxaquene tenha tido maior ascendente a nível da posse de bola e jogado mais perto da baliza contrária. Todavia, na maior parte das vezes fê-lo de forma disparatada. Desacerto total na hora de rematar à baliza. Por duas, três vezes a bola foi parar às “nuvens” em situações que se esperava muito mais.

Por apenas uma vez se registou uma ocasião de golo. Bruno, a unidade mais esclarecida do Maxaquene e até em campo, encostado à esquerda, com um movimento rápido flectiu para o meio e desferiu um remate para uma defesa arrojada de Tchando. Do lado do Chibuto, pouco ou nada se viu. Apenas Gregório pelo flanco esquerdo procurava esgueirar-se, mas os seus cruzamentos “morriam” na defesa do Maxaquene, bem liderada por Campira. A exibição dos “guerreiros” foi de tal forma pobre que Artur Semedo foi mesmo obrigado a operar uma substituição ainda na primeira parte, fazendo entrar Ejahita para o lugar de Allan (muito apagado).

Aliás, as duas equipas tiveram que recorrer a substituições na etapa inicial, mas no caso do Maxaquene foi devido a lesão de Danilo. Para o seu lugar entrou Victor, que, diga-se em abono da verdade, entrou adormecido.

O intervalo deixou indicações de que tinha feito bem aos treinados de Artur Semedo que os deve ter dado um bom puxão de orelhas. Em apenas três minutos fez mais do que em toda primeira parte: um remate à baliza da autoria de Rodrigues, que obrigou Zacarias à primeira intervenção de registo da tarde. Na verdade os primeiros 10 minutos da fase complementar deixaram transparecer um Chibuto a querer deixar uma imagem mais condizente com a posição na classificação, mas a equipa da casa equilibrou a partida e passou a ter mais bola até que aos 60 minutos, Bruno, de livre, fez um grande golo. Com um tiro de mais de 20 metros, bateu Tchandó, que ainda esboçou um gesto, mas incapaz de travar a "bomba" de Bruno que antes de entrar “explodiu” na trave. 

Em vantagem e com domínio do jogo a meio-campo, os treinados de António Muchanga pareciam ter o jogo controlado. Porém, numa jogada aparentemente inofensiva, o Chibuto ganha uma grande penalidade a castigar mão de Manuelito. Muitos protestos dos jogadores, visto que a decisão de Estêvão Matsinhe deixou muitas dúvidas. Chamado a marcar, Hammed rematou fraco e Zacarias adivinhou para que lado o avançado dos “guerreiros” iria colocar a bola. Explosão de alegria nas bancadas, com os adeptos a festejaram efusivamente como se de um golo se tratasse.

Até ao final foi só gerir o jogo, até porque do outro lado estava um Chibuto desinspirado.

Estêvão Matsinhe e seus pares realizaram um bom trabalho.

FICHA TÉCNICA

ARBITRAGEM: Estêvão Matsinhe, auxiliado por Carlos Guambe e Lúcio Namarrói. Quarto árbitro: Ema Novo.

MAXAQUENE: PD 298 Zacarias; Domingos, PD 301 Bernardo, PD 305 Campira e PD 552 Danilo ( PD 315 Victor); PD 312 Candinho, PD 397 Manuelito, PD 314 Bruno e PD 321 Mutong; PD 536 Jair (PD 320 Tobias) e PD 322 João (PD 310 Talapa).

CHIBUTO: PD 415 Tchando, 408 Abú, PD 413 Allan (PD 558 Ejahita), PD 560 Massicane, PD 414 Nhabanga, PD 422 Kadri, PD 415 Sataca Jr., PD 561 Mafaite, PD 417 Gregório, PD 428 Hammed e PD 435 Rodrigues.

DISCIPLINA: Amarelo para Abú do Chibuto, Kadri e Candinho do Maxaquene.

UP - 0 Textáfrica - 0: Quando se joga para o empate…

Bernardo Jequete

UP MANICA e Textáfrica jogaram mais para o empate do que propriamente para a vitória, pelo que o nulo final no marcador acabou premiando a estratégia dos dois treinadores, que se recearam bastante e jogaram com muitas precauções.

Mesmo assim, ambas entraram aguerridas em campo, com objectivo de chegar ao golo primeiro que o adversário.

Aos 21 e 32 minuto, Dile, da UP, falhou dois lances que resultariam em golos, tendo permitido defesas do guarda-redes Agnaldo, bem apoiado pela sua defensiva.

Seguiram-se algumas investidas do Textáfrica por intermédio dos jogadores Djongwe e Dário, mas sem sucesso, facto que deixava aborrecidos os sócios e adeptos das duas formações quando os lances não saiam como o desejado por parte dos jogadores dos dois conjuntos.

No reatamento, a história não foi diferente, mas os donos de casa visitaram com frequência a baliza adversária, tendo pecado na finalização, enquanto o Textáfrica se defende e apostou mais no contra-ataque.

Ficha técnica

ÁRBITRO: Aníbal Armando, auxiliado por Gimo Patrício e Manuel Nelson. O quarto foi Armando Nhambo.

UP Manica: 563 Elton, 445 Van, 451 Henrique, 441 Cristo, 447 Sérgio, 448 Aurito ( 459 Valdo), 442 Mauta, 564 Mussa, 449 Camuliwa ( 458 Manecas), 461 Dile ( 464 Félix) e 443 Martinho.

TEXTÁFRICA: 325 Agnaldo, 330 Márcio, 334 Omar, 327 Marcy, 332 Thoco, 338 Ricardo (350 Joseph), 339 Dário, 333 Osvaldo (340 Veloso), 343 David, 348 Magaba (337 Henry) e 349 Djongwe.

ACÇÃO DISCIPLINAR: Cartão amarelo para Ricardo, da UP de Manica.

Resultados e classificação actual

Costa do Sol – Fer. Nampula                                                 (1-0)

UD Songo- Fer. Nacala                                                          (3-1)

Incomáti-ENH                                                                         (0-0)

Des. Nacala – Fer. Beira                                                         (1-0)

Textáfrica- UP Manica                                                             (0-0)

Maxaquene-Chibuto                                                                (1-0)

Fer. Maputo-Liga                                                                     (1-0)

Sporting-1.º Maio                                                                     (0-0)

 

 

 

CLASSIFICAÇÃO

                                    J           V         E          D         B         P

FER. MAPUTO          10        7          1          2          11-6     22

Textáfrica                    10        4          5          1          11-9     17

Chibuto                       10        4          4          2          13-6     16

UD Songo                   09        5          1          3          13-11   16

Fer. Nampula              10        4          3          3          14-11   15

L. Desportiva              09        4          2          3          8-7       14

Fer. Beira                    10        2          7          1          12-7     13

UP Manica                  10        3          4          2          8-8       13

Maxaquene                 10        3          4          3          11-10   13

Costa do Sol               10        3          3          4          6-5       12

ENH                            10        3          3          4          5-10     12

D. Nacala                    10        3          2          4          9-8       11

Incomáti                      10        1          7          2          3-4       10

Fer. Nacala                  10        2          3          5          9-13     9

1.º de Maio                  10        2          2          6          6-11     9

Sporting                       10        1          3          6          6-16     7

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction