O grupo que tem intermediado o diálogo para a pacificação nacional espera que seja assinado um acordo de paz até Abril, anunciou hoje o presidente do grupo de contacto e embaixador da Suíça em Moçambique, Mirko Manzoni.

“Tal como é desejo de muitos moçambicanos, também nós aguardamos com expectativa a assinatura de um acordo de paz até Abril que crie as condições necessárias para a paz definitiva em Moçambique”, referiu, em comunicado.

O comunicado surge na sequência de um encontro, na quinta-feira, entre o Grupo Técnico Conjunto para a desmilitarização, desarmamento e reintegração (DDR) dos guerrilheiros da Renamo e o brigadeiro general Javier Perez Aquino, na cidade da Beira.

Aquele grupo técnico, sediado na capital da província de Sofala, reúne peritos militares indicados pelas partes (Renamo e Governo), enquanto Javier Perez Aquino lidera um grupo de peritos militares internacionais.

O encontro “é um sinal claro de que as equipas encarregadas de trabalhar na implementação do memorando de entendimento se encontram agora a discutir os aspectos técnicos do processo de DDR”.

“Embora seja da responsabilidade de ambas as partes assegurar que as actividades detalhadas no memorando são implementadas em paralelo, o grupo de contacto reafirma a sua disponibilidade para, se necessário, prestar apoio”, concluiu.

A Presidência da República anunciou na sexta-feira que, na sequência do encontro realizado na cidade da Beira, o grupo técnico conjunto vai passar a realizar encontros semanais para efectivar o processo.

“O grupo acordou a realização de encontros numa regularidade semanal para a preparação de documentos e aspectos logísticos que são necessários para a efectivação do processo de DDR”, refere-se em comunicado.

O arranque do programa de DDR foi anunciado pelo Presidente Filipe Nyusi, no dia 06 de Outubro.

O acto marcou a chegada de nove peritos militares internacionais liderados pelo argentino Javier Antonio Pérez Aquino, 58 anos, cuja mais recente missão consistiu em supervisionar, para as Nações Unidas, o desarmamento de guerrilheiros na Colômbia.

O processo de DDR abrange um número ainda não divulgado de guerrilheiros e é a segunda parte de uma negociação definitiva para a paz que o Presidente moçambicano encetou no último ano com o falecido líder da Renamo, Afonso Dhlakama, após o cessar-fogo decretado por este em Dezembro de 2016.

A primeira parte levou a um acordo sobre a descentralização do poder, consumada em Maio de 2018 com alterações à Constituição e consequente adaptação das leis eleitorais para o escrutínio de Outubro deste ano.

 

Comments

O PRESIDENTEda República (PR), Filipe Jacinto Nyusi, completa hoje 60 anos de idade, numa altura em que está no último ano do seu primeiro mandato como Chefe do Estado moçambicano. Leia mais

Comments

O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, completa hoje 60 anos de idade. Por ocasião da data, o Chefe do Estado tem estado a receber mensagens de felicitação de familiares, amigos, ex-colegas de escola e de trabalho, que lhe desejam muitos e longos de vida. Leia mais

Comments

A diplomata Berta Celestino Cossa é a nova representante permanente de Moçambique na União Europeia, anunciou hoje, em comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação (MINEC).

Berta Celestino Cossa apresentou cartas credenciais na terça-feira ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, manifestando “o desejo do Governo moçambicano de ver as relações entre Moçambique e a UE mais sólidas e alargadas”, refere o MINEC.

A nova representante já se encontrava em Bruxelas, mesmo antes de assumir o cargo, uma vez que tinha sido nomeada em Abril do ano passado como embaixadora de Moçambique na Bélgica.

Antes, Berta Celestino Cossa liderou a Direcção para Europa e Américas no MINEC.

A UE faz parte do grupo de principais parceiros de cooperação de Moçambique, apoiando actualmente o país com mais de 700 milhões de euros, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento (FED) para o período 2014-2020.

Moçambique integra também o Acordo de Parceria Económica assinado em 2016 entre seis países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) e a UE.

Comments

O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, desloca-se de 9 a 11 do mês em curso à Addis-Abeba, Etiópia, para participar na 32ª Cimeira Ordinária da Conferência dos Chefes de Estado e de Governo da União Africana.

A cimeira dos Chefes de Estado e de Governo vai decorrer sob o lema “2019, Ano dos Refugiados, Repatriados e Deslocados Internos em África: Rumo a Soluções Duradoiras para Deslocação Forçada em África”, indica um comunicado de imprensa emitido hoje pela Presidência da República.

A 32ª Cimeira Ordinária da União Africana terá como principais momentos o lançamento do lema do ano, que norteará os debates sobre a migração, fenómeno que constitui uma das principais crises humanitárias da actualidade no continente e no mundo.

Durante a sua estada em Addis-Abeba, o Chefe do Estado participará no debate sobre o processo da reforma da União Africana, de modo a responder cabalmente aos principais desafios de desenvolvimento consagrados na Agenda 2063; e ainda fará parte de vários painéis, onde se vai analisar assuntos que concorrem para a promoção da paz e segurança no continente.

Nesta sua deslocação, o Chefe do Estado moçambicano far-se-á acompanhar pelos Ministros dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, José Pacheco; e da Saúde, Nazira Abdula; Vice-Ministra do Interior, Helena Mateus Kida; embaixadora de Moçambique e representante permanente na União Africana, Albertina Mac Donald; presidente do Comité Nacional do MARP, Lourenço do Rosário; quadros da Presidência da República e de outras instituições do Estado. 

Comments
Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction