RESIDENTES dos bairros Siquiriva, Muele-3, Josina Machel, Nhamua e Ilha de Inhambane queixam-se da falta de energia eléctrica da rede nacional, uma situação que lhes faz com que vivam às escuras e privadas de abastecimento de água potável.

A preocupação que afecta 1100 famílias foi manifestada no último sábado ao chefe da edilidade local, Benedito Guimino, durante as celebrações do 61.º aniversário da elevação de Inhambane à categoria de cidade.

Trata-se, conforme reconheceu o presidente do Conselho Municipal da Cidade de Inhambane, de uma situação que também inquieta a edilidade, que tudo está a fazer para resolver o problema num curto espaço de tempo.

A par do problema da falta de energia eléctrica naquelas zonas residenciais, bem assim de água potável, os residentes locais também queixam-se da inacessibilidade de algumas vias para o centro da cidade como resultado do seu avançado estado de degradação.

A propósito, Benedito Guimino anunciou a existência de um projecto para o ensaibramento de cerca de 20 quilómetros das vias de acesso para os bairros suburbanos, acção que deverá ser implementada ainda durante o presente mandato.

No entanto, o chefe da edilidade de Inhambane pediu aos residentes locais para que estes continuem a dar a sua colaboração para que estas iniciativas se tornem em realidade porque, segundo disse, os bons resultados até agora registados só foram possíveis devido ao envolvimento dos munícipes na procura de soluções dos inúmeros problemas que se apresentam.

Para além da abertura de novas estradas, no âmbito do reordenamento de alguns bairros, sobretudo da zona periférica da urbe, Benedito Guimino prometeu durante as festividades do 61.º aniversário da cidade de Inhambane a disponibilização pela edilidade de espaços infra-estruturados aos jovens, funcionários públicos e privados nas zonas de expansão dos bairros Muele-3, Malembuane e Guitambatuno, para a edificação das suas residências.

Disse também que constitui prioridade da edilidade a edificação de infra-estruturas sociais para a redução das distâncias que as pessoas continuam a percorrer para ter acesso, por exemplo, aos serviços sanitários, escolas e parques infantis.

Com efeito, desde o início deste mandato, o Conselho Municipal da Cidade de Inhambane comprou e entregou 350 carteiras duplas que beneficiaram a 1200 alunos, distribuiu 400 quilogramas de semente para 20 associações de produtores para impulsionar a produção agrícola, concluídas e entregues nove salas de aula em diversos bairros da cidade e canalização de água potável para 1300 famílias dos bairros de Ilha, Magajane, Machavenga, Tecuane, Salela Siquiriva e Manhandza.

Neste período, de acordo com o informe do presidente do município, foram parcelados 2250 talhões para habitação, dos quais 1200 foram atribuídos aos jovens. Igualmente foi elaborado e aprovado um plano de pormenor dos bairros Muele-2, Malembuane, Guitambatuno e Muele-3 para permitir a urbanização básica e concessão de terra infra-estruturada aos munícipes.

 

VICTORINO XAVIER

 

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 60,70 61,84
ZAR 4,43 4,51
EUR 71,53 72,88

11.10.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

HÁ alguns anos, o Governo do ex- presidente moçambicano, Joaquim ...
2017-10-20 23:30:00
MAIS um linchamento ocorreu ao princípio desta semana na cidade da Beira, ...
2017-10-20 23:30:00
TURMA, não posso ignorar esta chamada, serei rápido. Enquanto estou ...
2017-10-20 23:30:00
MOCÍMBOA da Praia, na província de Cabo Delgado, está desde ...
2017-10-19 23:30:00
Passam cerca de duas semanas que contei a história onde o personagem ...
2017-10-19 23:30:00