TRINTA e seis pessoas morreram no primeiro semestre do presente ano na província da Zambézia, em resultado de 33 acidentes de viação, cifra que representa um aumento em dois óbitos comparativamente a igual período do ano passado.

Os sinistros saldaram-se ainda em quatro feridos graves e 51 ligeiros, para além de avultados danos materiais, sobretudo nas viaturas envolvidas.

Estes dados foram tornados públicos ontem pelo governador da Zambézia, Abdul Razak, no decorrer de um seminário provincial de auscultação pública sobre a proposta da Política Nacional de Segurança Rodoviária, um encontro que juntou, na cidade de Quelimane, membros do governo, transportadores, académicos, Polícia de Trânsito e representantes da sociedade civil.

No entanto, de acordo com o governador provincial, houve uma redução do número de acidentes, tendo se registado 33 contra 45 do mesmo.

Dados comparativos apresentados pelo governador da Zambézia indicam que na zona urbana foram registados oito acidentes de viação contra 25 na zona rural, situação que preocupa as autoridades governamentais.

Entretanto, o delegado do Instituto Nacional de Transportes Terrestres (INATTER), na Zambézia, Alcídio Macule, afirmou que está em curso no país a Política Nacional de Segurança Rodoviária. Neste sentido, disse que a contribuição de vários segmentos sociais, em termos de ideias, é importante para a redução da sinistralidade rodoviária.

Alcídio Macule afirmou que a redução da sinistralidade rodoviária depende do envolvimento da Polícia de Trânsito e da direcção provincial dos Transportes e Comunicações que realizam   actividades ligadas à educação, sensibilização e fiscalização rodoviária.

Explicou, na ocasião, que as principais causas dos acidentes de viação na Zambézia têm a ver com a condução sobre o efeito do álcool, excesso de velocidade e má travessia de peões. Devido a este facto, instou as instituições que velam pela segurança rodoviária para aprimorarem os mecanismos de sensibilização e educação para que o cidadão opte por boas práticas na via pública. 

As autoridades governamentais entendem haver necessidade de promover aquelas acções, através do reforço da disseminação de mensagens para vários públicos que usam a estrada para as suas necessidades. Aliás, o governador da Zambézia considerou que a participação de todos os parceiros institucionais do governo e a sociedade civil na elaboração da nova proposta de lei pode ajudar na redução de acidentes de viação.

“Não podemos continuar a assistir condutores irresponsáveis a causarem dor e luto nas nossas famílias e destruir bens públicos. Devemos também privilegiar as acções de educação cívica e moral a partir da família”, disse.

Participaram no seminário parceiros do INATTER, Polícia de Trânsito, Administração Nacional de Estradas, sociedade civil, AMVIRU, membros do governo provincial, entre outros.

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 58,31 59,47
ZAR 4,74 4,83
EUR 70,23 71,64

25.01.2018   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

PARECE haver motivos bastantes para emprestar as palavras do polémico ...
2018-02-24 00:30:00
O SONO é um veneno que embriaga, paralisa o corpo, corta os movimentos e guia ...
2018-02-24 00:30:00
“Ide por todo o mundo, anunciai a Boa Nova a toda criatura” – Mc ...
2018-02-23 00:30:00
Há reportagens antigas  – nos jornais e televisões -  ...
2018-02-23 00:30:00
SÓ posso começar o presente texto dizendo mesmo isto: INAE, já ...
2018-02-23 00:30:00