O GOVERNADOR de Inhambane, Daniel Chapo, considera que a ocorrência, com frequência, de acidentes de viação graves na via pública, particularmente na Estrada Nacional N.º 1, é resultado de algumas fraquezas e lacunas na acção de fiscalização envolvendo diversas entidades estatais.

Como resultado do tal facto, os acidentes de viação ocorridos durante o primeiro semestre do presente ano nas rodovias da província de Inhambane causaram mais de 70 óbitos e centenas de feridos, entre graves e ligeiros, para além de avultados danos materiais.

Para a inversão deste cenário, Daniel Chapo instou os envolvidos no processo de fiscalização rodoviária para realizarem o seu trabalho com zelo e profissionalismo, endurecendo as medidas de controlo.

Disse que os acidentes de viação são, na sua maioria, originados por erros humanos, desde o incumprimento das regras mais elementares do Código de Estrada, porque, segundo suas palavras, alguns motoristas conduzem em estado de embriagues e com viaturas superlotadas, sobretudo as de transporte de passageiros, excesso de velocidade e circulação em períodos de interdição.

O governador de Inhambane anotou que o troço da Estrada Nacional N.º 1 (EN1) que atravessa a província requer uma vigilância permanente dos automobilistas, dada as condições favoráveis para a circulação em alta velocidade.

“Aqui a estrada tem muitas rectas e o pavimento é bom. Na nossa opinião, os transportadores de longo curso, quando chegam aqui, procuram recuperar o tempo perdido, quer pelas alegadas paragens da Polícia na província de Gaza, assim como das más condições da estrada de Inchope até Pambara, daí que a nossa Polícia tem que estar atenta a esta indisciplina para prevenir acidentes de viação”, anotou Chapo.

Ele deplorou, igualmente, a continuidade da circulação nocturna de transportadores inter-provinciais a partir da Terminal Internacional na Cidade de Maputo, bem como a superlotação das viaturas, chegando mesmo a colocar bidões para os passageiros que não tenham tido assentos.

“Como é que os machimbombos circulam desde a cidade de Maputo com pessoas sentadas nos bidões nos corredores. Como é que alguns transportadores, partindo da terminal da Junta, na cidade de Maputo, iniciam suas viagens pela madrugada sem que sejam proibidos de o fazer. O mesmo em vários postos de fiscalização nas províncias de Maputo e Gaza”, observou o governador de Inhambane.

Para que a província não continue a ser um corredor de morte, Chapo recomendou à Polícia de Trânsito para fazer a parte que lhe diz respeito.

“Os fiscalizadores também serão fiscalizados. Vamos procurar saber de onde passou a viatura X ou Y com pneus carecas ou superlotada. Por que os fiscais deixaram passar machimbombo acima da hora recomendada para a sua circulação?”. questionou Chapo.

Recorda-se que em menos de um mês 22 pessoas perderam a vida e outras contraíram ferimentos graves e ligeiros na EN1, sobretudo no troço que atravessa a província de Inhambane, em consequência de três acidentes de viação envolvendo autocarros de transporte de passageiros e carga.

Victorino Xavier

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 58,31 59,47
ZAR 4,74 4,83
EUR 70,23 71,64

25.01.2018   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

O PAÍS, de modo particular as zonas norte e centro, está a ser ...
2018-02-17 00:30:00
GLÓRIAMaria, hoje tive a certeza de que a terceira idade é um ...
2018-02-17 00:30:00
DESDE que a 7 de Fevereiro, o mais alto magistrado da nação anunciou, ...
2018-02-16 00:30:00
CÁ estou eu de novo, depois de um repouso que já roçava a ...
2018-02-16 00:30:00
DURANTE as escaramuças que opuseram as Forças de Defesa e ...
2018-02-16 00:30:00