Director: Júlio Manjate   ||  Directora Adjunta: Delfina Mugabe

Opinião

Politica

A FRELIMO, na cidade de Maputo, lançou ontem um ciclo de formação de quadros visando a preparação dos militantes para o processo de auscultação e ...

quarta, 20 junho 2018
Leia +

Economia

A empresa Aeroportos de Moçambique (ADM) alcançou, em 2017, um volume de negócios de 2,8 mil milhões de meticais, o que representa um crescimento de 2 por cento, ...

terça, 19 junho 2018
Read more
Pub
SN

Desporto

DAÚDO Razak é o novo treinador do Chibuto, em substituição de Artur Semedo, que se demitiu na semana passada, alegando indecência no clube, logo após a ...

quarta, 20 junho 2018
Leia +

Nacional

OS NÍVEIS de poluição do rio Revuè estão a reduzir consideravelmente nos últimos tempos, o que resulta de uma orientação dada pelo Presidente ...

quarta, 20 junho 2018
Leia +

UMA exposição de diversas manifestações artísticas, entre elas fotografia, escultura e pintura, está patente desde quinta-feira no recém-inaugurado Centro Cultural Moçambique-Alemanha, na cidade de Maputo.

 mostra comporta obras de artistas nacionais e estrangeiros, nomeadamente o fotógrafo Mário Macilau, o escultor Luís Santos, os pintores Vasco Manhiça e Ricardo Pinto, todos moçambicanos, o alemão 4th Raik e a portuguesa Sara Carneiro.

O multifacetado Mário Macilau, que no ano passado fez uma exposição individual inédita dos seus quadros de pintura, traz desta vez dois retratos escuros com crianças ao centro.

Por sua vez, Vasco Manhiça, com recurso à técnica mista, expõe dois quadros intitulados “Wrong Show”, em que faz questionamentos sociais como, por exemplo, a proliferação de conteúdos que divertem e pouco cultivam a sociedade moçambicana. Abusando, como lhe é característico, de cores quentes, sobretudo o castanho, construiu o seu discurso apostando no surrealismo.   

Ricardo Pinto evidencia nos seus quadros a problemática de transporte público que assola as cidades de Maputo, Matola e não só. Para tal, usa a técnica de Acrílico com que pinta em telas de algodão, seguindo riscas de arte moderna, com cunho “poético”, no que diz respeito à colocação dos personagens nos quadros.

Enquanto isso, o alemão 4th Raik, residente em Berlim, opta por mostrar as suas pinturas de retratos de alguns artistas plásticos moçambicanos. A esteira da sua pintura também e das artes modernas.

Esta exposição, aberta a 23 de Fevereiro, é a primeira do CCMA, que abriu as portas neste mesmo dia, e estará patente até 23 de Março.

O centro terá, segundo os responsáveis, uma galeria e um leque vasto de actividades culturais, como saraus, debates e concertos.

Na cerimónia de abertura, Roberto Dove, que falava em representação do ministro da Cultura e Turismo, Silva Dunduro, exortou aos gestores do CCMA a apostarem na diversidade cultural que o país oferece.

Este projecto, prosseguiu, é um contributo acrescentado para o Moçambique e para a Alemanha, que, mais uma vez, reforçam as suas relações, porém na área da cultura, a bandeira de um povo.

Esteve igualmente presente Detlev Wolter, embaixador da Alemanha acreditado no país, acompanhado pelo seu staff.

 

 

Sábados

CLICKADAS

TEMA DE ...

A multiplicidade étnica e religiosa é, sem dúvida, uma ...

...

A busca por um sistema educacional que incluísse as línguas, ...

Conselho de administração

Presidente: Bento Baloi

Administrator: Rogério Sitóe

Administrator: Cezerilo Matuce

Siga-nos

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction