Director: Júlio Manjate   ||  Director(a) Adjunto(a): 

 

O escritor Anísio da Conceição lança hoje, às 17 horas, no Auditório Carlos Tembe, na cidade de Matola, província de Maputo, o seu livro de estreia "Não Sou Ninguém".

 

 

Na obra poética, o autor, além de usar o lirismo para produzir emoções, arquitectar sentimentos e propalar o belo, também recorre ao verbo poético, especialmente, para denunciar as desigualdades e as iniquidades tatuadas na epiderme do cosmo. Este facto, evidencia-se, logo, no primeiro poema: ‘’criança desamparada/ cresces quase sem razão/aos pontapés perpetuados sucumbes/ pela madrasta que te empresta lágrimas/ na casa da malograda’’ (p.17).

 

 

O escritor Artur Da Távola, afirmou que a importância de um poeta transcende a construção de objectos materiais, pois ele usa a palavra para chegar ao outro e para interrogar sobre o mundo. Lendo ‘’Não Sou Ninguém’’, percebe-se que este poeta, não tenciona mudar o desenrolar das coisas na terra, mas, espera com seus versos esculpidos com mestria tocar o âmago das almas humanas e sugerir uma reflexão crítica em torno das atrocidades mundanas. É por isso que, no poema da página 36, o autor de ‘’Não Sou Ninguém’’ confessa: ‘’meu sonho é ser poeta/ para escrever o quotidiano despido/ tudo o que se passa ao meu redor/ porque nada no íntimo quero guardar’’.

 

Comments

A DÉCIMA quarta edição do Festival do Tofo, realizada no último fim-de-semana, na praia da Barra, cidade de Inhambane, cimentou o “casamento” entre a cultura e o turismo ao permitir a efectivação de várias acções, que concorrem para a divulgação das oportunidades de negócio na área turística e do mosaico cultural. Leia mais

Comments

PARTILHAR ideias, experiências e visões sobre como a imprensa veicula no país assuntos relacionados com as crenças sócio-culturais é o objectivo de um debate que tem lugar às 18 horas de hoje, na Embaixada do Reino dos Países Baixos, em Maputo.

Para o debate, intitulado “O papel da mídia em informar e desafiar as crenças”, foi composto um painel constituído por Hélder Nhamaze, antropólogo, activista de direitos humanos e docente da Universidade Eduardo Mondlane; Regina Charumar, líder cívica, ambientalista e jurista. Estará ainda Cremildo Churane, especialista em Género, comunicação para mudança social de comportamento, numa moderação do jornalista e escritor Eduardo Quive.

A ideia é de compreender até que ponto a mídia tem poder de desafiar as limitações impostas por certas tradições e crenças culturais sobre o desenvolvimento humano em diferentes regiões do país.

Uma das questões tem a ver com algumas práticas culturais que podem afectar a saúde das crianças, a integridade física dos membros duma determinada comunidade, bem como os direitos dos idosos, mulheres, crianças e raparigas.

Este é o segundo, de um ciclo de três debates que estão inseridos na exposição World Press Photo que decorre em Maputo desde 22 de Novembro, até ao dia 13 deste mês, no Jardim Tunduru.

“A diversidade dos mídia e a liberdade de expressão” foi o primeiro tema analisado no contexto desta que é a maior exposição internacional de fotografia.

Nesse debate, Babette Warendorf, curadora desta exposição internacional na Holanda, alertou para o facto de fotojornalistas africanos concorrerem pouco para os prémios da World Press Photo, baseando-se nos dados que apontam para somente dois por cento de fotógrafos oriundos de países africanos, pelo menos na edição de 2018.

O ciclo de debates, encerra no dia 10 de Dezembro, quando no mesmo espaço, irá se debater a forma como a mídia cobre questões relacionadas com a cultura, religião, economia e os ataques à aldeias de alguns distritos da província de Cabo Delgado.

Comments

Houve muita música de louvor e de adoração a Deus, durante as celebrações dos dez anos da existência do grupo coral “Anjos do Apocalipse”, na última sexta-feira, Teatro Avenida, cidade do Maputo.

O evento foi concorrido por muitos cidadãos amantes de música evangélica, assim como os ecuménicos, que apenas gostam de ritmo, seja que for, sobretudo quando se trata de música ao vivo.

Segundo Willy Matine, membro do grupo coral “Anjos do Apocalipse”, a realização do espectáculo com a exibição de muitos temas com mensagem evangélica, é a forma que o coral encontrou para agradecer a Deus todo o poderoso por ter orientado e protegido a colectividade durante os dez anos desde a sua criação.

O coral constituído por 25 coristas apresentou no show repertório com mensagens, que abordam assuntos de intervenção social em diferentes esferas da vida. As mensagens foram exteriorizadas através de musicais de diferentes estilos, como marrabenta, música clássica e tradicional, da autoria do grupo.

O espectáculo da festa dos “Anjos do Apocalipse” foi testemunhada com a participação de artistas como Roberto Chitsondzo, Aniano Tamele, Willy e Aníbal, professora Candinha e o grupo coral Wunanga.

A fonte informou que está satisfeito com o balaço do show, porque segundo ele, o espectáculo decorreu de forma prevista, independentemente, de alguns transtornos havido, o aniversário foi comemorado da melhor maneira.

Matine disse que apesar de, o coral ser ecuménico, não pode deixar de reconhecer que Deus é o comando da vida e das realizações dos integrantes do grupo.

O coral “Anjos do Apocalipse” foi criado em 2008 e conta com 30 membros.

SAMUEL UAMUSSE

Comments

MAPUTO faz parte de um grupo de seis cidades mundiais escolhidas pela Elton John Aids Foundation para emitir uma mensagem de combate ao HIV/SIDA. A rota passa por Nairobi (‎Quénia), Nova Deli (Índia), Atlanta (Estados Unidos da América), Londres (Inglaterra) e Kiev (Ucrânia). O objectivo é angariar fundos para apoiar projectos das referidas cidades em campanhas de combate à epidemia. Leia mais

Comments
Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction