DIVERSAS instituições públicas são chamadas a explicar a existência de funcionários a mais no seu quadro de pessoal, problema detectado pela prova de vida realizada pela primeira vez de forma electrónica em 2015.

À partida, o Ministério da Administração Estatal e Função Pública (MAEFP) acreditava que o Estado tinha 357 mil funcionários e agentes. No entanto, o processo indicou a existência de cerca de 8600 funcionários a mais, não se percebendo como é que continuavam registados como activos. 

O director de Sistemas e Tecnologias de Informação, Feliciano Chavana, garantiu que a plataforma usada para o registo de funcionários e agentes de Estado indica com precisão as instituições onde as irregularidades aconteceram.

Neste sentido, os titulares das áreas tinham até 30 de Abril para explicar ao MAEFP como é que continuavam nos seus registos com gente já falecida, expulsa e/ou reformada, baralhando completamente as estatísticas e orçamentos.

O responsável acrescentou que, dos cerca de 8600 funcionários e agentes fictícios, pelo menos 2760 auferiam salários normalmente.

O Presidente da República, Filipe Nyusi, falando recentemente no Conselho Consultivo que orientou no Ministério da Administração Estatal e Função Pública, exigiu a realização de um levantamento dos responsáveis por estas anomalias para posterior responsabilização.

O Chefe do Estado reiterou a necessidade de os funcionários e agentes de Estado serem responsabilizados pelos todos os seus actos. É que, actualmente, há em muitas instituições pessoas que faltam e pouco produzem, mas nada lhes acontece.

Versão-Impressa


Breves

Editorial

EDITORIAL
Sexta, 23 Junho 2017
DOIS momentos marcaram esta semana o contacto entre o Banco de Moçambique e a comunicação social, nomeadamente o ponto de situação da economia nacional e os esclarecimentos à volta do processo que culminou com a venda do Banco Moza à Kuhanha –... Ler mais..

Primeiro Plano

IMAGE
Mandimba faz de tudo para não passar fome
Terça, 27 Junho 2017
Há cada vez menos pessoas a se envolverem no cultivo e comercialização de tabaco, no distrito de Mandimba, província de Niassa, desânimo associado à falta de chuvas que se registou na campanha agrária passada e que provocou prejuízos enormes aos produtores. Ler mais..

Assim vai o mundo

Preçário dos jornais online

Anual 5.746,00 MT
Semestral
Trimestral 1.436,00 MT
Mensal 478,00 MT
Quizenal 239,00 MT
Semanal
Diário 18,00 MT

Jornal Noticias

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Domingo

Anual 1.872,00 MT
Semestral
Trimestral 468,00 MT
Mensal 156,00 MT
Semanal 27,00 MT

Jornal Desafio

Câmbio

Moeda Compra Venda
USD 59,83 60,97
ZAR 4,66 4,75
EUR 66,81 68,07

22.06.2017   Banco de Moçambique

Opinião & Análise

CONTRA as minhas próprias convicções, sou impelido a concordar ...
2017-06-27 06:45:03
ESTÁ um frio do catano. Me penetra até aos ossos, que os imagino ...
2017-06-27 06:43:12
EM 1975, eu ainda era pequeno. Com a idade que tinha, naturalmente não me ...
2017-06-26 07:35:13
A PREPARAÇÃO para ir a Foto Mia, a única casa de fotografia de ...
2017-06-26 07:30:10
NOS últimos dias, a actividade de “car wash” na cidade de Maputo ...
2017-06-26 07:25:47

Conversas ao sábado

  • Publicidade_Versao_Imprensa

Quem está online?

Temos 2194 visitantes em linha