Director: Júlio Manjate   ||  Director(a) Adjunto(a): 

O Instituto Nacional de Normalização e Qualidade (INNOQ) adverte que a progressiva globalização da economia, conjugada a um ambiente tecnológico dinâmico e competitivo, constitui um desafio merecedor de intensos esforços das diferentes partes, incluindo o Governo, Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA) e parceiros de cooperação.
O alerta surge por ocasião do Dia Mundial da Qualidade que ontem se assinalou no mundo inteiro, sob o lema “Qualidade, uma questão de confiança”, que pretende destacar a importância da confiança dentro de uma organização e sua contribuição para seu crescimento e manutenção. 
Falando durante as celebrações, que tiveram lugar em Maputo, o director-geral do INNOQ, Alfredo Sitoe, disse que o país já conta com 1048 normas técnicas publicadas e aplicáveis em diversas áreas de actividade e, para reforçar o seu acervo, outras 110 normas técnicas serão aprovadas até o final do ano em curso.
“Estas normas podem ser utilizadas por investigadores, organizações, incluindo em regulamentos técnicos e/ou certificação de produtos e serviços”, explicou, citado pela AIM.
Referiu que foram certificadas 40 empresas em sistemas de gestão, contudo, duas  perderam a certificação por incumprimento das normas e uma está suspensa.
Sitoe disse ainda que a qualidade constitui uma ferramenta incontornável para alavancar o país no comércio interno e internacional através da certificação de empresas e produtos com base nas normas moçambicanas e internacionais.
Por isso, a fonte sublinhou que urge intensificar e acelerar o emprego de ferramentas, tais como a normalização, metrologia e certificação de sistemas de gestão e produtos, como forma de agregar valor a produtos e processos industriais.
O Inspector-geral da Indústria e Comércio, Alfredo Dias, enfatizou que no período compreendido entre 2010 e 2016 a economia moçambicana recebeu um grande impulso com a descoberta de grandes reservas de gás natural.
Porém, a exploração destes recursos requer o fornecimento de bens e serviços de qualidade, impondo ao empresariado nacional “a necessidade de certificar as suas empresas, produtos e serviços para poder responder às exigências dos grandes projectos, nos quais a cultura da qualidade já faz parte do seu quotidiano”.
Dias destacou a importância da certificação, explicando que é um mecanismo de avaliação da conformidade que garante que determinado sistema, processo ou serviço reúna os requisitos estabelecidos nas normas técnicas, regulamentos e especificações técnicas. 
Anotou que Moçambique precisa de ter um sistema de qualidade que garanta confiança aos agentes económicos e consumidores.
Para o efeito, disse Dias, já foi submetido à Assembleia da República, o Parlamento moçambicano, a proposta de Lei do Sistema Nacional de Qualidade, instrumento que após a sua aprovação vai clarificar o tratamento sobre matérias ligadas à qualidade, bem como permitir a promoção de investimentos estruturantes. 

Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction