21.7 C
Maputo
Sábado, 13 - Abril, 2024

País reitera posição sobre não proliferação nuclear

+ Recentes

ANTÓNIO MONDLHANE, em Nova Iorque

MOÇAMBIQUE junta hoje a sua voz ao clamor mundial sobre a não proliferação de armas nucleares, num evento a decorrer na cidade norte-americana de Nova Iorque organizado pelo Reino do Japão, país que assume actualmente a presidência rotativa mensal do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Em resposta ao convite formulado pela homóloga japonesa, Yōko Kamikawa, a ministra moçambicana dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Macamo, deverá centrar a sua intervenção no desencorajamento do uso de armas como meio de resolução de diferendos entre Estados. Com base na experiência moçambicana de superação pacífica dos conflitos, espera-se que Macamo use o púlpito das Nações Unidas para advertir ao mundo de que a corrida armamentista retarda os esforços de criação do bem-estar dos povos.

Mesmo sem ser produtor de armas, Moçambique tem uma posição inequívoca sobre esta matéria, particularmente nestes dias em que o mundo está mergulhado em guerras, onde o uso de artefactos de destruição em massa é uma ameaça permanente.

Aliás, através da Resolução n.° 7/2008, de 16 de Setembro, da Assembleia da República, Moçambique ratificou e integrou no seu ordenamento jurídico o Tratado de Proibição Total de Ensaios Nucleares, adoptado pela Assembleia-Geral da ONU por intermédio da Resolução n.° 50/245, de 9 de Setembro de 1996.

Leia mais…

- Publicidade-spot_img

Destaques