Imprimir
Categoria: Primeiro Plano
Visualizações: 1517

ARRANCA em Abril próximo a construção de uma ponte de betão sobre o rio Lúrio, que limita as províncias de Niassa e Nampula, através dos distritos de Nipepe e Lalaua respectivamente.

A obra tem o custo global estimado em oito milhões de dólares (601,7 milhões de meticais), valor a ser desembolsado pela HD Mining Development, empresa de capitais chineses que exploraa grafite no distrito de Nipepe.

A ponte, a ser erguida na zona de Metarica/Lúrio e com previsão de conclusão para Dezembro próximo, facilitará o escoamento, por via rodoviária, da grafite para o Porto de Nacala, provínciade Nampula.

Ainda com o propósito de escoar a grafite, o administrador de Nipepe, Sérgio Igua, disse que a HD Mining Development tem também a intenção de reabilitar a estrada de 36 quilómetros que assegura a ligação entre a sede do distritoe o posto administrativo de Meti, em Lalaua, onde depois se alcança a Estrada Nacional número 13 (EN 13).

Igua exalta ganhos no contexto de construção da ponte sobre o rio Lúrio que sempre foi reclamada pela população do seu distrito, considerando que a infra-estrutura irá dinamizar a comercialização dos excedentes dos produtores sobretudo agrícolas.

Nipepe é potencial produtor de culturas como amendoim, milho, feijões, gergelim, tubérculos e hortícola, que, em algum momento, não encontram mercado devido às dificuldades de travessia por parte dos intervenientes no processo de comercialização agrícola entre Nipepe e Lalaua, em razão do caudal do rio Lúrio ser alto na maior parte do ano.

“Nipepe será um corredor rodoviário privilegiado, quando a construção da ponte sobre o rio Lúrio ficar concluída, porque não será mais necessário se deslocar à cidade de Cuamba, que dista a cerca de 250 quilómetros, para viajar para as zonas do interior de Nampula”, disse Sérgio Igua, enaltecendo que os corredores rodoviários constituem uma alavanca para o desenvolvimento local.

A HD Mining Development investiu, até ao momento, cerca de 50 milhões de dólares (3,7 mil milhões de meticais) nos processos de prospecção e pesquisa de grafite que apurou a existência de mais de cinco milhões de toneladas do minério puro em Macala.

Investiu, por outro lado, na construção de infra-estruturas para acomodação do complexo de processamento do minério, onde se espera criar cerca de 300 postos de emprego fixos para cidadãos moçambicanos e 60 estrangeiros.