Director: Lázaro Manhiça

A ASSEMBLEIA da República aprovou ontem, na generalidade, as propostas do Plano Económico e Social (PES) e da lei do Orçamento do Estado (OE) para 2021.

Os dois instrumentos foram apresentados pelo Executivo e estabelecem directrizes de operacionalização do Programa Quinquenal do Governo (PQG) 2020/2024 e outros mecanismos de longo, médio e curto prazo.

Servirão para orientar a acção governativa para o próximo ano, com enfoque na melhoria do bem-estar e da vida da moçambicanos, através da criação de um ambiente de paz, harmonia e tranquilidade, com um forte estímulo para a criação do emprego.

O Primeiro-Ministro, Carlos Agostinho do Rosário, disse que o principal objectivo do Governo, ao apresentar os dois documentos, é a redução das desigualdades sociais e da pobreza, tendo como prioridade a produção, razão por que o PQG direcciona maior bolo para a agricultura (10 por cento do OE).

As contribuições das três bancadas no Parlamento, nomeadamente a Frelimo, Renamo e MDM, em torno do PES e do OE, serviram para melhorar algumas abordagens e ajudaram a clarificar determinados aspectos, o que, para o Executivo, enriquece a democracia.

Carlos Agostinho do Rosário referiu que o compromisso, em 2021, é de alcançar uma taxa de crescimento económico de 2.1 por cento e manter uma inflação estável de 5 por cento, uma projecção que parte do pressuposto de um crescimento económico moderado que se baseia na previsão da retoma gradual da economia.

“Este crescimento da economia será determinada, fundamentalmente, pela dinâmica do sector produtivo nacional, com destaque para agricultura, energia e indústria extractiva. Em relação à agricultura, reiteramos que prevemos boas perspectivas de aumento de produção, mercê da previsão da época chuvosa favorável para a campanha agrícola 2020/2021”, disse do Rosário, acrescentando que o reforço do investimento neste sector, sobretudo no âmbito do Programa SUSTENTA, é uma garantia de alcance de bons resultados.

Deixou claro que o Governo vai continuar a promover uma agricultura familiar cada vez mais ligada ao mercado e ao agro-processamento, reforçando os serviços de apoio à produção, o acesso a financiamento e mercados, bem como a transferência de tecnologias para os agricultores.

A IMPLANTAÇÃO do novo Terminal Logístico de Combustíveis Líquidos na Matola vai contribuir para que os produtos petrolíferos cheguem aos vários pontos do país em quantidade, qualidade e segurança, permitindo atingir objectivos estratégicos.

O primeiro destes objectivos, segundo o Presidente da República, Filipe Nyusi, é relativo aos benefícios económicos para o consumidor, em razão da concorrência que este empreendimento oferece ao mercado de combustíveis no país e da possibilidade da redução dos custos oferecidos ao consumidor.

O segundo tem a ver com a perspectiva da integração na Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral, (SADC), onde a capacidade de receber cargas de combustíveis de maior dimensão proporciona um ganho e eficiência. Leia mais

TREZE pessoas perderam a vida e outras quatro contraíram ferimentos, entre graves e ligeiros, na sequência de um acidente de viação ocorrido cerca das 4.50 horas de ontem na Estrada Nacional número Seis, concretamente junto ao posto de controlo da Polícia de Trânsito em Inhamízua, à entrada da cidade da Beira.

Segundo o porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM)na capital provincial de Sofala, Marito Peralto, tratou-se de um choque entre umveículo pesado de mercadorias da marca Sinotruk, matrícula AAO-751-SE, e um semi-colectivo de passageiros da marca Toyota Hiace, com chapa de inscrição AAI-608-IB.

Não se sabe quantas pessoas viajavam no mini-bus que embateu violentamente na parte traseira do camião, ficando completamente destruído.

O sinistro terá sido causado por uma manobra executada pelo condutor do camião, sem observância de regras de trânsito, facto aliado ao excesso de velocidade por parte da viatura mini-bus e à fraca visibilidade, uma vez que chovia na altura.

O camião seguia do distrito de Nhamatanda com destino à cidade da Beira, enquanto o mini-bus saía desta urbe para o posto administrativo de Muxúnguè, no distrito de Chibabava.

Por sua vez, porta-voz do Hospital Central da Beira (HCB), Bonifácio Cebola, confirmou 13 óbitos e os quatro que foram transportados para esta unidade sanitária.

De acordo com Cebola, os feridos graves estão a receber tratamento nos serviços de traumatologia e neurocirurgia.

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Júlio Manjate

Administrator: Rogério Sitoe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction