Imprimir
Categoria: Destaque
Visualizações: 527

A PRESIDENTE do Instituto Nacional de Gestão e Redução de Riscos de Desastres (INGD), Luísa Meque, defendeu ontem na cidade da Beira, a rápida evacuação das pessoas residentes em locais considerados de risco, face à tempestade tropical Eloise, que deve atingir o país a partir de amanhã.

A Eloise influencia desde ontem o estado de tempo no Canal de Moçambique, como tempestade tropical moderada, mas pode atingir o país, já como ciclone tropical, com ventos de velocidade até 170 km/h e chuvas intensas nas províncias da Zambézia, Sofala, Manica, Inhambane e Gaza.

Perante o potencial de ameaça da tempestade Eloise, Luísa Meque defende que a evacuação deve acontecer já hoje.

Para o efeito, foram asseguradas 12 embarcações, estando aberta a possibilidade de mobilização de mais meios, de forma a retirar o maior número possível de pessoas dos locais de risco.

Na ocasião, Luísa Meque revelou que existe stock suficiente de víveres para alocar aos afectados em caso de necessidade.

Reafirmou a urgência da retirada das pessoas para locais mais seguros ou para os centros de acomodação já criados, no sentido de prevenir danos maiores tal como aconteceu com o ciclone Idai, em Março de 2019.

O Instituto Nacional de Meteorologia (INAM) alertou que a tempestade vai tocar em terra entre os distritos de Machanga, Muanza e cidade da Beira, todos pontos da província de Sofala.

O INAM refere ainda que perante a prevista ocorrência de muita chuva nas próximas 72 horas, haverá um incremento significativo dos níveis dos rios nas bacias do Save, Púnguè e Búzi,o que vai agravar as inundações que já se verificam nestas regiões do país na presente época.