Imprimir
Categoria: Breves
Visualizações: 4404

MUITOS agentes económicos da província de Tete não estão a beneficiar do fundo do Governo localdestinado a dinamizar a comercialização de excedentes agrícolas, avaliado em mais de sete milhões de meticais, por não reunirem toda a documentação exigida para o efeito. Dados do Instituto de Cereais de Moçambique (ICM) indicam que a maioria dos comerciantes não possui documentos como o Direito de Uso e Aproveitamento de Terra (DUAT), entre outros.