Imprimir
Categoria: Beira
Visualizações: 964

O PRESIDENTE do Conselho Municipal da Cidade da Beira, Albano Carige, condenou domingo o assassinato de pessoas com problemas de pigmentação da pele para fins obscuros.

Falando em torno do dia internacional de consciencialização pela defesa da pessoa com albinismo, Carige defendeu que “vamos continuar a lutar contra a discriminação porque as pessoas albinas devem ter mesmas oportunidades que as outras. Há mitos que fazem alguns cidadãos tirarem a vida destas pessoas, na perspectiva de serem ricos. Ariqueza não virá destes actos bárbaros, mas do trabalho”, argumentou.

O autarca pediu à sociedade para denunciar as acções criminosas contra as pessoas albinas.

O delegado provincial da Associação Defendendo os Nossos Direitos (ADODS), Orlando Machambissa, disse que as pessoas com albinismo não são fontes de riqueza e não têm algo especial no seu organismo.

Considerou ser triste e lamentável viver o estigma de discriminação por causa de condição genética.

“É inaceitável encontrar cidadãos que não reconhecem a dignidade humana da pessoa com albinismo”, lamentou.

Machambissa recomendou às pessoas com albinismo a continuarem a estudar, trabalhar e a contribuírem para o bem da sociedade.

Por seu turno, o director nacional da “Light For The World”, Zacarias Zicai, afirmou que as pessoas com albinismo são normais como as outras.

“Infelizmente, na sociedade pairam muitos mitos sobre o enriquecimento fácil à custa deste grupo de pessoas”, lamentou.

O dia internacional de consciencialização pela defesa da pessoa com albinismo foi assinalado sob o lema "Força em Tudo".

Na ocasião, foram entregues 100 pacotes de máscaras e igual número de protectores solares para as pessoas com albinismo.