Imprimir
Categoria: Beira
Visualizações: 1579

UM indivíduo espancou há dias a sua  esposa na cidade da Beira por esta ter exigido que ele se submetesse ao processo de rastreamento contra o coronavírus, depois de regressar de uma viagem.

A denúncia foi feita pela para-legal ao serviço da organização Mulher, Lei e Desenvolvimento (MULEIDE), Júlia Garrine.

Falando à margem de uma conferência de imprensa levada a cabo pela “Woman Law in Southern Africa” (WLSA) naquela parcela do país, a fonte contou-nos que a mulher, sabendo que o esposo acabava de regressar de uma viagem por alguns países com casos desta pandemia, exigiu que ele tomasse precauções, algo que foi visto pelo seu parceiro como uma afronta.

Perante esta situação, Júlia Garrine alertou para a necessidade de se proteger este grupo social porque, segundo suas palavras, neste tempo de confinamento há grandes  probabilidades de os casos de violência doméstica aumentarem.

Por sua vez, o representante da WLSA em Sofala, Rildo Rafael, revelou que a presença da Covid-19 fez com que se reestruture o projecto adequando suas mensagens para ajuda a mulher.