Imprimir
Categoria: Maputo
Visualizações: 486

 

A companhia petrolífera ExxonMobil está a apoiar a educação de raparigas carenciadas,que foram acolhidas pelo lar Mamana Wa Kurula,em Boane, província  de Maputo.

Para o efeito, a ExxonMobil entregou um edifício multifuncional,ontem, em Boane, equipado com uma sala de informática,cinco computadoresecom acesso ilimitado à internet durante um ano, dispondo também deuma biblioteca, dois quartos mobilados e uma casa de banho, num investimento orçado em 80 mil dólares. 
“As instalações permitem que as crianças do orfanato e da comunidade tenham melhor acesso àinformação,que permitirá melhor desempenho escolar”, disse o director geral da ExxonMobil Moçambique, Jos Evens.
“Acreditamos que estas instalações ajudarão a comunidade e as raparigas deste orfanato nos seus estudos e na integração na sociedade”, frisou, segundo a AIM.
A iniciativa da ExxonMobil é fruto de um memorando de entendimento assinado com o Ministério do Género, Criança e Acção Social,em Dezembro de 2018, que visa promover actividades em conjunto para proteger e melhorar a qualidade devida das crianças e famílias moçambicanas.
A Ministra do Género, Criança e Acção Social, Cidália Chaúque, que também testemunhou o evento, apelou às raparigas do orfanato Mamana Wa Kurula para que continuem a estudar, pois elas serão as futuras dirigentes do país.
“Para podermos melhorar a nossa condição social precisamos de estudar. Cuidem muito bem desta casa, cuidem muito bem das nossas educadoras, respeitem as educadoras,porque esta é que é a nossa maior responsabilidade”, disse.
“Com o equipamento que está aqui vocês vão poder desenvolver muito mais e vão poder desenvolver outras actividades. Por isso, este bairro tem esta sala multi-usoe a partir do nosso parceiro vamos poder ter mais e mais apoios, mas para que isso aconteça é preciso que nós cumpramos, que nós conservemos”, advertiu.

A ministra sublinhou que a retenção das raparigas nas escolas também é um contributo inestimável para a redução dos casamentos prematuros.
“Nós pensamos que neste lar, nesta família,vão poder preservar os direitos da criança até concluírem o ciclo e continuarem a desenvolver este país. Gostaríamos de agradecer e dizer parabéns,por termos conseguido encontrar melhores condições”, afirmou a governante.
As meninas do lar, por seu turno, agradeceram o gesto da ExxonMobil,pedindopara que continue a apoiar iniciativas similares. 
“O nosso bom aproveitamento escolar faz parte do nosso futuro. Nós temos esta oportunidade,que agradecemos, porque é raro alguém encontrar uma ajuda como esta,que nos apresenta a ExxonMobil”, disse Narryan Hiyen, de 16 anos de idade.
Órfã de pais, Hiyen é uma das 40 meninas acolhidaspelo lar Mamana Wa Kurula,quando tinha apenas nove anos.