OS agricultores da cidade de Maputo comercializaram durante o primeiro semestre do ano em curso perto de 28 mil toneladas de hortícolas, das cerca de 90 mil previstas para o ano em curso. O director da Indústria e Comércio da Cidade de Maputo, Sidónio Santos, que falava ontem no âmbito do lançamento da campanha de comercialização agrícola, espera que a meta de produção seja cumprida até o fim do ano, o que significa uma maior oferta ao nível da capital. Leia mais

Comments

Quatro pessoas morreram este ano, vítimas de ataques de crocodilos nas margens do rio Incomáti, na província de Maputo, e as autoridades alertam para o perigo que aqueles répteis representam para as populações das zonas ribeirinhas, sobretudo daquele curso de água.

 O alerta é do chefe do departamento de Florestas e Fauna Bravia na província de Maputo, Elias Mapulasse, que alerta para a necessidade de existência de um dipositivo de maneio no rio Incomáti, entre Moçambique e África do sul.

“Em Abril, houve fuga de crocodilos de um criador e entraram no rio, do outro lado, e posteriormente no rio Incomáti. É preciso ter cuidado. O que se faz na África do Sul não deve prejudicar Moçambique. Precisamos de um plano de maneio, já estamos em sintonia com a África do Sul, o rio Incomáti vai continuar a ter esta fauna conflituosa”, disse, citado pela Rádio Moçambique.

Comments

SESSENTA novos autocarros serão entregues hoje para reforçar a mobilidade de pessoas e bens na região metropolitana de Maputo, no prosseguimento da implementação do projecto “Plano 1000”, uma iniciativa lançada em Maio de 2018. Leia mais

Comments

O AUMENTO do número de pescadores artesanais ilegais preocupa as autoridades do Mar, Águas Interiores e Pescas, a nível da cidade e província de Maputo. O chefe da repartição provincial de fiscalização, José Cuna, avançou que os ilegais nem sempre observam as regras, situação que periga a sustentabilidade dos recursos. Leia mais

Comments

O aumento de indivíduos que exercem a actividade pesqueira sem as devidas licenças está a preocupar as autoridades do Mar, Águas Interiores e Pescas, a nível da cidade e província de Maputo.

A informação foi avançada hoje pelo chefe da Repartição Provincial de Fiscalização de Maputo, José Cuna, em conferência de imprensa convocada para o balanço semestral das actividades realizadas pela instituição.

Cuna disse que a concorrência desleal na captura do pescado constitui um perigo para os recursos marítimos na cidade e província de Maputo.

Segundo Cuna, o acto concorre para a extinção de algumas espécies do mar, devido ao exercício ilegal e sem a observância das regras básicas estabelecidas para o efeito.

Entretanto, aponta a falta de emprego como factor impulsionador para que muitos jovens optem pela actividade pesqueira para o seu auto-sustento.

Cuna referiu que estes fazem-se ao mar para pescar, sem obedecer os trâmites legais, alguns por falta de meios para o processo burocrático pertinente e, outros, por não saberem o que se deve tratar e onde  devem se dirigir.

Informou que, durante o primeiro semestre, a equipa multissectorial da Direcção Provincial de Fiscalização e da Polícia Costeira, Lacustre e Fluvial do Ministério de Interior realizou 56 patrulhas marítimas e 66 terrestres em toda a baía de Maputo, Águas Interiores e nos Centros Comunitários de Pesca.

Explicou que, como forma de protecção de espécies marinhas para permitir a sua reprodução e crescimento, nos primeiros dois meses a inspecção restringiu-se na veda da pescaria de camarão na baía de Maputo, nas fozes dos rios Incomáti, Matola, Umbelúzi e Tembe.

No período em análise foram inspeccionadas 1591 embarcações e apreendidas várias quantidades de camarão e peixe, sete motores de barco de pesca artesanal, 278 redes de pesca, contra 239 de igual período de 2018.

A fonte clarificou que das 278 redes de pesca apreendidas por várias irregularidades, 184 eram ilegais e já foram destruídas,  revelando, igualmente, que o trabalho de fiscalização culminou com a aplicação de 237 multas aos infractores, avaliadas em 3.269.851 meticais, contra 168 e 2.191.667, respectivamente, do ano anterior.

  Quanto à protecção do mangal, a fonte explicou que nos últimos seis meses a equipa efectuou duas operações de fiscalização, por semana, que resultaram na apreensão de 422 estacas, sendo  358 no bairro Luís Cabral e 64 nas salinas da cidade da Matola.

As operações de fiscalização foram realizadas na baía de Maputo; Madjuva, no distrito de Matutuíne; Escola de Pesca, Língamo e Hanhane, no distrito da Matola; KaElisa e Guachene, no distrito municipal KaTembe; Costa do Sol, Marítimo, Triunfo, Muntanhane, Xefina Grande, e no distrito municipal KaMavota.

Comments
Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction