Imprimir
Categoria: Nampula
Visualizações: 1528

O Governo vai continuar a trabalhar visando a construção de mais infra-estruturas para prover água em quantidade e qualidade para a população.

A promessa foi feita sábado último, em Nampula, pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, durante a inauguração do Centro Distribuidor de Água de Faíta, que fornece o precioso líquido à cidade de Nacala-Porto e arredores. Na ocasião, o Chefe do Estado disse que os investimentos em infra-estruturas e de gestão de recursos hídricos são prioridade para o Governo. Salientou que o crescimento que a cidade de Nacala regista deve ser acompanhado pela disponibilização de recursos à medida, neste caso concreto a água.

Filipe Nyusi definiu o abastecimento de água à população como um dos direitos principais e factor de alívio à pobreza e também uma forma de promover a justiça social para todos.

“O acesso à água, para além de prevenir doenças, promove o desenvolvimento socioeconómico e estimula a produção”, destacou o Presidente da República, acrescentando que estas conquistas contribuem, sobremaneira, para o estímulo à produção, criação de riqueza, geração de um desenvolvimento equilibrado e inclusivo, favorecendo a convivência num ambiente de paz e harmonia.

Em Nacala-Porto o centro distribuidor vai beneficiar cerca de 145 mil pessoas com a consequente melhoria da qualidade de vida.

Com o novo centro distribuidor, a população de Nacala deixa de caminhar longas distâncias à procura de água e passa a ter o precioso líquido perto com maior abundância e disponibilidade.

As obras de reabilitação e expansão do sistema de abastecimento de água alimentado pela Barragem de Nacala absorveram cerca de 47 milhões de dólares norte-americanos, tendo produzido impactos imediatos, através do aumento da capacidade de produção de 16.020 para 30.200 metros cúbicos de água.

A água passou a ser distribuída 18 horas por dia contra as anteriores 12 horas.

No distrito de Monapo, que beneficia do sistema, o abastecimento de água aliviou o sofrimento da população local. Actualmente, a taxa de cobertura passou dos três para 25 por cento, onde dados disponíveis indicam um incremento das ligações domiciliárias de 418 para 3.026 consumidores que residem em onze bairros.

Dirigindo-se à população de Monapo, o Chefe do Estado disse que o sistema inaugurado não tem capacidade para fornecer a todos os residentes e, por essa razão, exortou a população para pautar pela vigilância no sentido de evitar a acção de pessoas mal intencionadas que possam vandalizar a infra-estrutura.

“Devemos ter a cultura de proteger os nossos bens e pautar pelo uso racional da água de modo a chegar para as outras pessoas”, enfatizou.