Director: Lazaro Manhiça

As selecções nacionais de vólei de praia, em masculinos e femininos, garantiram a passagem para a segunda fase de qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020.

As primeiras duplas apuradas foram as de masculinos, com Délcio/Aldevino e Justino/Carlos a somarem por vitórias os jogos realizados diante do Zimbabwe “A” e “B”, respectivamente, por 2-0, no sábado, e domingo frente à África do Sul pelo mesmo resultado.

Já as duplas femininas, compostas por Leocádia/Vanessa e Jéssica/Mércia, carimbaram a passagem para a fase seguinte, ontem, com triunfos convincentes sobre as selecções de eSwatini “A” e “B”, por 2-0, isto depois de no domingo terem batido os pares sul-africanos, também, por 2-0. 

Esta primeira fase, que termina hoje, está a ser disputada em Maputo na praia da Costa do Sol por seis países, nomeadamente Moçambique, África do Sul, Zâmbia, Zimbabwe, Botswana e eSwatini.

Na próxima fase Moçambique vai defrontar selecções de maior dimensão, casos das Maurícias, Angola, Egipto, Nigéria e Ruanda. Desta etapa transitam oito selecções, que depois lutarão por um lugar que dá acesso aos Jogos Olímpicos.

Comments

Terminadas as férias de pouco mais de um mês, as equipas do Moçambola voltam ao trabalho tendo em vista a preparação para as competições que se avizinham na presente época. No caso do Costa do Sol, campeão, e União Desportiva do Songo, vencedor da Taça de Moçambique, além das habituais provas internas (Moçambola e Taça) terão que disputar a Supertaça e as Afrotaças. Outras equipas que abrem hoje as “oficinas” são o Ferroviário da Beira, ENH, Textáfrica e Ferroviário de Nacala. Ferroviário e Desportivo, ambos de Maputo, começam a trabalhar na quarta, 15 de Janeiro . Já o Black Bulls e Liga Desportiva de Maputo serão as últimas a fazerem-se aos relvados no dia 20, enquanto o primo-divisionário Matchedje de Mocuba, arrancou bem mais cedo, no dia 8 Janeiro, quarta-feira passada.

COSTA DO SOL: Chelito: a mais nova cara

O CAMPEÃO  nacional, Costa do Sol, regressa aos trabalhos com a grande responsabilidade de defender o estatuto alcançado na época passada. Para a presente época os “canarinhos” mantêm grande parte da sua espinha dorsal e ainda contarão com os préstimos do médio moçambicano Chelito, que actuava no Berkane do Marrocos.

Os “canarinhos” ganham um reforço de peso, que virá de certa forma colmatar a lacuna deixada pelo criativo Chawa, que se transferiu para o futebol sul-africano. Além de Chawa, o campeão nacional tem que ir ao mercado para encontrar o substituo do seu goleador-mor, o avançado camaronês Eva Nga, transferido para o Bidvest Wits da África do Sul, clube onde alinha o capitão da Selecção Nacional Dominguez.

Além de Chelito, os “canarinhos” garantiram mais três reforços: Mário, avançado (ex-Ferroviário de Maputo), Danilo, defesa esquerdo e Bernardo, defesa central (ambos ex-Maxaquene).

UD SONGO: Bem arrumados

A UNIÃO Desportiva do Songo, que abre as “oficinas” também hoje, está muito activa no mercado, com vários jogadores a entrarem no plantel, sendo que o mais sonante é o defesa direito dos “Mambas” Sidique (ex-Desportivo de Maputo). Eis os outros jogadores contratados para esta época: Laque (ex-ENH); Kwali (ex- Ferroviário de Nampula); Dário (ex-Textáfrica do Chimoio) e Uche (ex-Ferroviário de Maputo).

Em relação às saídas estão confirmadas as de Mário Sinamunda e de Charles Swini, por se encontrarem no fim dos respectivos contratos, enquanto Zequito regressa ao Costa do Sol, após um ano de empréstimo.

Na equipa técnica houve uma mudança. Carlos Manuel (Caló) passa a assumir o papel de adjunto, em substituição de Chaquir Bemat, que aceitou o convite do Ferroviário de Nampula para ser o treinador principal. 

FERROVIÁRIO DE MAPUTO: Pedras basilares saem e estrangeiros em vista

TERCEIRO classificado na época passada, o Ferroviário de Maputo começa a trabalhar na quarta-feira ainda sem reforços. Todavia, sabe-se que estes devem vir do estrangeiro para colmatar as saídas de jogadores importantes, como o defesa central Chico (Sporting TS) e os avançados Uche (UD Songo) e Mário (Costa do Sol). Daúde Razaque terá assim de montar uma nova equipa competitiva com capacidade para disputar o título, face à pressão dos fervorosos e exigentes adeptos, que durante a época passada contestaram por diversas vezes o seu trabalho. 

FERROVIÁRIO DA BEIRA: Apostados no título

APÓS ter ficado em quarto lugar na temporada-2019, o Ferroviário da Beira quer atacar o título e para tal reforçou-se em grande medida. Além de Akil Marcelino, o eleito para assumir o comando técnico, chegaram reforços de vários pontos do país, apresentados na semana passada.

Akil vai liderar o primeiro treino hoje, sob forte presença dos adeptos do “Chiveve”, que esperam por uma época melhor sucedida.

Eis os reforços dos “locomotivas” da Beira: Dallas (guarda-redes, ex-Ferroviário de Nacala) Milagre (guarda-redes, ex-Incomáti de Xinavane) Cristo (defesa, ex-Textáfrica), Tawanda (defesa, ex-Ferroviário de Nacala), Eric (defesa, ex-Textáfrica), Celso (defesa, ex-Textáfrica), David (médio, ex-Textáfrica), Maré (médio, ex-Textáfrica), e Mário Sinamunda (avançado, ex-União Desportiva).

Os beirenses seguraram ainda a sua maior pérola, Dayo, pretendida por muitos “colossos” do futebol nacional.

DESPORTIVO DE MAPUTO: Reforços do Centro

O DESPORTIVO de Maputo arranca a época na quarta-feira com a realização das habituais inspecções, actividade que se prolonga até quinta. Já na sexta-feira os “alvi-negros” realizam o primeiro treino, com as baterias apontadas em melhorar a oitava posição alcançada em 2019. Para dar maior qualidade ao plantel as “águias” reforçaram-se com o avançado Tico e o médio Amisse, ambos ex-Têxtil do Púnguè, e ainda com o guarda-redes Agnaldo, ex-Textáfrica. Foram ainda promovidos nove jovens repartidos entre a equipa B e juniores.

Embora não tenha sido confirmado pela Direcção, sabe-se que os “alvi-negros” perdem duas importantes “pedras”. Trata-se do médio Gervásio Mafaite, que vai ao Costa do Sol, e o médio Hammed, dado como certo na Black Bulls. 

TEXTÁFRICA: Parruque assume interinamente

O TEXTÁFRICA começa hoje sob a batuta do treinador interino Custódio Parruquee com o plantel ainda longe de estar formado devido à grande razia que sofreu com a saída dos defesas Cristo, Tawanda, Eric e Celso, dos médios David, Márcio e Maré, e dos avançados Djongwe e Dário.

Da temporada passada permanecem Buda e Thoco (defesas laterais direito), Samito e Omar (defesas centrais). A estes juntam-se os regressados defesa central Tentinho e o  avançado Joseph, que estavam emprestados ao Desportivo de Maputo e Chibuto,  respectivamente, e ainda três zimbabweanos que chegam à experiência.

Neste momento os “fabris” do Planalto estão a estudar a possibilidade de se reforçarem com três brasileiros, sendo um avançado, um trinco e um extremo direito e ainda quatro reforços que devem vir de equipas da cidade de Maputo.

De referir que no dia 18 de Janeiro a Comissão de Gestão encabeçada por Zacarias Mavilevai reunir com os sócios, simpatizantes e adeptos do clube e o público em geral para lançar um olhar relativo à preparação do clube para o Moçambola-2020, sendo que outros aspectos relacionados ao clube estão a ser geridos pelo Governo local em coordenação com a Comissão de Gestão.

LIGA DESPORTIVA DE MAPUTO: Aly Hassan pega na equipa

ALY Hassan é o técnico escolhido para liderar a Liga Desportiva de Maputo na próxima temporada, tendo como adjunto Adérito Comé. Aly volta a pegar numa equipa que vai enfrentar as provas internas com o mesmo espírito da época passada. Sem avançar com nomes, a Direcção da Liga disse estar próximo de selar acordo com jovens jogadores e que virão dar sangue novo ao plantel, que se pretende que a média seja de 23 anos. Estes juntam-se aos que transitam da época passada, nomeadamente Simplex, Gervásio, Caldino, Cigano, Momed Hagi, Stélio, Ambalilo, Mapangane, Artur, Modema, Nonó, Turras, Dainho, Yudi, Mabote e Cabine.  

Na porta de saída estão Sonito, Gerson, Aguiar, Pinto e Mokas, todos eles dispensados. 

A Liga vai apresentar o plantel no próximo dia 20, data em que se iniciam os trabalhos.

FERROVIÁRIO DE NAMPULA: Dois regressados à casa

O FERROVIÁRIO de Nampula, que este ano será comandado pelo jovem técnico Chaquir Bemat (era adjunto de Nacir Armando na UD Songo), que fará a sua estreia como treinador principal numa equipa do Moçambola, arranca com os trabalhos na quarta-feira, dia 15 de Janeiro. Chaquir Bemat terá como adjuntos Turito Macassar e Faza João, treinador de guarda-redes.

Os “locomotivas” de Nampula, que foram campeões em 2014, conseguiram a manutenção na última jornada, uma situação que quererão certamente evitar. Para atacar o novo ano a Direcção decidiu fazer uma limpeza de balneário, não renovando contrato com 17 atletas, nomeadamente Acácio, Gervásio, Zabula, Payó, Dito, James, Kalanga, Osvaldo Sunde, Imo, Jumisse, Josimar, Lanito, Nando, Emmanuel, Vivaldo, Belito e Hélder Pelembe, uma “vassourada” que faz antever que os nampulenses terão um plantel praticamente renovado. Para já, em relação aos reforços, o Ferroviário de Nampula assegurou os regressos de Salas Malico e Taymo Brito (estavam emprestados ao Desportivo de Nacala), ambos formados na capital do Norte.

BLACK BULLS: Jogos de controlo na África do Sul

A ASSOCIAÇÃO Black Bulls chega ao Moçambola rotulada como uma das boas colectividades emergentes do futebol nacional. Comandados pelo técnico português Hélder Duarte, os “touros”, como são conhecidos, começam os trabalhos a 20 de Janeiro, tendo traçado como meta a manutenção, mas pela forma como têm estado activos no mercado pode-se esperar mais. Até agora estão confirmados sete reforços, a saber: Hammed (ex-Desportivo de Maputo), Heldinho (ex-Chibuto), Dalito (ex-ENH), Mateus (ex-ENH), Gibril (ex-Chibuto), Xirasse (ex-Maxaquene) e Sunday (ex-Chibuto).

Por empréstimo e todos com destino ao Matchedje de Maputo saem Ermildo,   Dilton e Evaldo.

A Black Bulls vai efectuar grande parte da preparação em Maputo, mas tem previsto um estágio na África do Sul, onde tenciona fazer dois jogos de preparação.

MATCHEDJE DE MOCUBA: O primeiro a arrancar

MATCHEDJE de Mocuba é das formações que vai fazer a sua estreia no Moçambola, a par da Black Bulls e do Ferroviário de Lichinga. Contrariamente a muitas outras equipas, a turma de Mocuba iniciou a preparação mais cedo, 8 de Janeiro, última quarta-feira, sob comando de Mussa Muliata, técnico responsável pela ascensão da colectividade à prova-mor do futebol nacional. Com parcos recursos financeiros, quando comparado a muitos dos outros adversários que terá pela frente no Moçambola, o único representante da província da Zambézia não tem nomes sonantes no seu plantel, tendo apostado na prata da casa no ataque àquele que é o seu objectivo, que passa pela manutenção.

FERROVIÁRIO DE LICHINGA: Faife em triagem

SÉRGIO Faife, que na época passada treinava o Ferroviário de Nacala, é para já o grande reforço do primo-divisionário Ferroviário de Lichinga, que vai participar pela primeira vez no Moçambola. De acordo com o técnico, a preparação deve arrancar esta semana e a primeira fase será uma espécie de triagem, visto que não conhece a equipa e quer observar todos os jogadores para posteriormente ver que sectores será preciso reforçar, pelo que disse ser prematuro avançar com entradas e saídas de jogadores.

Comments

A DIRECÇÃO do ENH de Vilankulo traça como principal objectivo para a presente temporada a conquista da Taça de Moçambique e classificar-seentre os três primeiros do Moçambola, segundo disse Tavares Martinho, presidente da colectividade, em conferência de imprensa.

“No ano passado tivemos uma prestação bem melhor que as anteriores, embora sem conseguir alcançar os objectivos preconizados, que passavam por conquistar a Taça de Moçambique e estar entre os três primeiros classificados do Moçambola. 2019 foi o quinto ano de existência daENH e terminámos, coincidentemente, o campeonato em quinto lugar e podemos afirmar que estamos satisfeitos por isso”, disse o presidente daENH.

Durante a conferência de imprensa, Tavares Martinho disse que aENH ainda não tinha contratado o treinador-principal, anunciando que Victor Mayamba, António Uamba e Rodrigues Gulube, este último,treinador de guarda-redes, vão ser os adjuntos, considerandoque “são jovens técnicos reconhecidos na praça futebolísticae esperámos que sejam úteis no auxílio ao treinador-principal que ainda não foi contratado”, disse, referindo que “o treinador-principal vai chegar antes do final de Fevereiro. Temos contactos já bem avançados com treinadores estrangeiros”, sublinhou e quando questionado se o croata Boris Pucic era candidato, Martinho respondeu que “contactámos o Boris Pucic no ano passado, mas ele pediu-nos um salário muito alto (15 mil dólares). Tivemos um contacto com o Nelson Santos, que não é uma pessoa a descartar, mas disse-nos que está muito ocupado com o Belenenses, presentemente. Também existe a hipótese do brasileiro Alex Alves, que está a trabalhar na China, neste momento, mas até ao momento não nos definimos”, esclareceu.

O presidente daENH disse que o plantel foi renovado. Foidispensado cinquenta porcento do plantel anterior,justificando que “uns têm lesões graves e não podem dar contributo à equipa e outros estão em idade avançada, bem acima dos 30 anos de idade. A maior parte dos jogadores contratados para a presente temporada são jovens ambiciosos, com uma boa margem de progressão e com experiência no Moçambola”, afirmou Tavares.

 

PLANTEL COM

30 JOGADORES

 

Neste momento, aENH é composto por 30 jogadores, designadamente os guarda-redes Leandro (ex-Textáfrica), Jonas I (ex-Maxaquene), Jonas II (ex-Ferroviário de Nacala), os defesas Mexer (ex-Maxaquene), Marcos, Allan (ex-GDM), Márcio (ex-Textáfrica), Obed, Elias (ex-Incomáti), Nhaminga (ex-Têxtil), Hermínio (ex-Têxtil), Rui (ex-GDM), Kikito (ex-Chibuto, os médios Beto, Riquito (ex-Incomáti), Jarula (ex-GDM), Quaresma, Mikel (ex-Costa do Sol), Finidi, Mussa (ex-Fer. Beira), Milton, Ndazione (ex-Fer. Nacala), Parkim, Valter (Baía), Frank (Maxaquene), do meio-campo, Eurico, Jongwe (Textáfrica), Jafete, Elias Macamo (Fer. Nacala), Pires, Victor Malino (Maxaquene).

O plantel, de acordo com Tavares Martinho,será reduzido para 25 jogadores. “Construímos uma equipa de unidade nacional, onde cada província de Moçambique está representadana nossa equipa, mas tendo em conta a qualidade dos atletas”, disse o presidente, referindo que as “oficinas”vão abrir na próxima terça-feira, 14 de Janeiro, com início das inspecçõesmédicas.

Por outro lado, Tavares Martinho deu a conhecer que o Estádio Municipal de Vilankulo está em obras e, sendo assim, os trabalhos da pré-época vão decorrer em Maputo. “Estamos em processo de remoção da relva seca para dar início a implantação de nova relva por forma que em Abril, quando iniciar o Moçambola, possamos estar em condições de receber os nossos adversários naquele recinto”.

Ainda no campo das infra-estruturas, aENH está a proceder com o melhoramento das que estãodestinadas a acomodar os atletas. “Temos estado a melhorar as condições de alojamento dos atletas e, num futuro breve, iremos também encontrar instalações para o funcionamento administrativo do clube, uma vez que até ao momento usa as infra-estruturas da empresa ENH.

Comments

O MOÇAMBOLA-2020 começa a ser disputado a 4 de Abril próximo, conforme o calendário acordado na tarde de ontem entre a Federação e Liga Moçambicana de Futebol.

O certame terá o seu epílogo em Novembro e prevê-se que os jogos tenham lugar apenas aos fim-de-semana, protegendo os interesses dos clubes envolvidos.

A Federação Moçambicana de Futebol vai introduzir uma nova prova, designada Campeonato Provincial, na qual tomarão parte todas equipas filiadas na associação provincial. Esta competição terá início no dia 2 de Fevereiro, substituindo, em teoria, os antigos torneios de abertura. A participação na prova será de carácter obrigatório. No final dessa prova, vai começar, na mesma data com o Moçambola, o Campeonato da Segunda Divisão, que terá uma fase provincial seguida pela fase regional para o apuramento do representante zonal ao Moçambola.

Arnaldo Salvado, director técnico da FMF, explicou que o objectivo final é acrescentar competitividade no futebol nacional e que os modelos de disputa dos campeonatos provinciais serão decididos pelas associações, podendo variar duma província para outra.

O presidente da Liga Moçambicana de Futebol, Ananias Couana, enfatizou que o calendário indicado pela FMF é favorável ao exercício em curso da Liga e manifestou-se optimista pelo facto de o campeonato iniciar com as equipas já com vários jogos de preparação decorrentes da sua participação no campeonato provincial.

Comments

A FEDERAÇÃO e Liga Moçambicana de Futebol reúnem-se hoje, quinta-feira, a partir das 16.00 horas, para discutir o calendário do Moçambola 2020, que deverá arrancar em Março próximo envolvendo 14 clubes. Trata-se do primeiro encontro de trabalho entre as partes desde a eleição da nova direcção da Federação Moçambicana de Futebol (FMF), em Dezembro passado. LEIA MAIS

Comments

CONVERSAS AOS SÁBADOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Júlio Manjate

Administrator: Rogério Sitóe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction