Imprimir
Categoria: Economia
Visualizações: 1631

A PETROLÍFERA Total afirmou, há dias, ter reduzido a sua força de trabalho em Moçambique, na sequência da decisão de 'força maior' devido à situação de segurança no norte de Cabo Delgado. A Total E&P Mozambique Area 1 (TEPMA1)", operador do projecto de gás (Mozambique LNG), “confirma que reduziu a força de trabalho” disse uma fonte da Total, citada pela Lusa.

Segundo a mesma fonte, a redução foi feita "como discutido com as autoridades e em conformidade com a legislação moçambicana", sem adiantar mais detalhes - nomeadamente sobre o número de postos de trabalho em causa e de que forma foram reduzidos.

A empresa reagia a testemunhos ouvidos pela Lusa por parte de trabalhadores directamente contratados pela Total, segundo os quais "Junho é o último mês em que a empresa paga vencimento".

A redução surge depois de a empresa e firmas subcontratadas terem retirado todo o pessoal do local do projecto, na península de Afungi, durante a semana que se seguiu ao ataque em 24 de Março à vila de Palma - situada a cerca de 10 quilómetros. Leia mais