Imprimir
Categoria: Economia
Visualizações: 770

A ASSOCIAÇÃO dos Vendedores e Importadores Informais de Moçambique, MUKHERO, já retomou a importação de produtos de primeira necessidade da África do Sul, depois que terminou a vaga de violência de saques desencadeada pela prisão do ex-Presidente Jacob Zuma.

“Devido à onda de violência, os produtos não entravam para o país e até o dia 16( de Julho corrente) os mercados estavam quase sem nada”, disse Sudecar Novela, presidente da MUKHERO em entrevista recente à AIM.
Novela anotou que se a situação não tivesse sido controlada na África do Sul, Moçambique corria o risco de enfrentar uma escassez de bens alimentares, com uma consequente subida de preços, por depender fortemente de importações daquele país vizinho.

Disse ainda que os ‘mukheristas’sempre fizeram a importação de produtos alimentares, observando todo o protocolo das medidas de prevenção. Entretanto, sentem-se,de certa forma,sufocados devido as restrições impostas pelas autoridades sul-africanas, bem como oscustospara a realização de testes da Covid-19.
Fundada em 2000, a MUKHERO conta actualmente com mais de 1.500 membros.