Imprimir
Categoria: Economia
Visualizações: 542

 

O director-geral da Agência de Promoção de Investimentos e Exportações, Lourenço Sambo, diz que os produtos agrícolas de Moçambique não estão a ser elegíveis para exportação por falta de capacidade para a sua certificação dentro do país, escreve a AIM, citando “O País”.

Falando segunda-feira, num encontro dedicado à exportação de produtos agrícolas de Moçambique para os países do Médio Oriente, organizado pela Câmara de Comércio de Dubai, Sambo disse que nem para Dubai,nem para outro mercado exigente Moçambique estaria em condições de exportar os seus produtos agrícolas e pecuários.
Na visão do dirigente da instituição responsável por facilitar as exportações, o país deve começar a olhar com muita seriedade para a certificação dos produtos agrícolas, incluindo os da pecuária.
“Estamos agora com um dilema: estamos a produzir a macadâmia em Sussundenga, em Manica,e aqui em Maputo, mas não temos capacidade de certificação”, afirmou Sambo.
Segundo Sambo, Sussundenga leva oseuproduto para a África do Sul, ondeé certificado e considerado Made in South Africa. “Então,é isso tudo que temos de olhar”, explicou, acrescentando que “mercados como o Médio Oriente são exigentes, tão exigentes quanto nós. Não podemos comer qualquer coisa que não saibamos da sua proveniência”.
No seu entender, Moçambique deve começar a fazer a agricultura do terreno e não dos escritórios, como tem vindo a acontecer,actualmente. “Nós aqui em Moçambique fazemos muita agricultura no ministério, nas direcções provinciais, mas não é aíondea agricultura é feita, mas simno campo,e também vive da especialização”, concluiu.
Por seu turno, Abdulla Momade, em representação da Câmara de Comércio de Dubai, afirma que aquele país já identificou alguns produtos existentes em Moçambique e que, a ser potencializada a sua produção, poderia importar em maiores quantidades do que faz agora, principalmente,tendo em conta que os países do Médio Oriente,praticamente,não praticam agricultura,por serem de uma zona desértica.
“Neste momento,temos, por exemplo, a castanha de caju, a ervilha, o feijão e a banana,como produtos que Moçambique mais exporta para Dubai”, precisou Abdulla Momade.