Imprimir
Categoria: Internacional
Visualizações: 378

UMA centena de civis sequestrados no começo de Junho último por homens armados na cidade de Manawa, noroeste da Nigéria, foram libertados, após 42 dias de cativeiro, anunciaram nesta terça-feira (20) as autoridades do Estado de Zamfara.

“Em 08 de Junho de 2021, bandidos invadiram a cidade de Manawa e sequestraram 100 habitantes, incluindo mulheres, homens e menores”, diz um comunicado da polícia de Zamfara. “As vítimas, que estiveram nas mãos dos sequestradores por 42 dias, foram libertadas sem pagamento de resgate”, assinala o texto, sem dar detalhes.

O noroeste da Nigéria é palco há anos da actividade de grupos criminosos que atacam, saqueiam e sequestram a população, roubando o seu gado e queimando suas casas. O Exército reforçou o seu efectivo e enviou aviões de combate à região para acabar com a violência dos "bandidos", que se tornaram sequestradores em massa de estudantes em troca de resgates.

Os criminosos refugiam-se na floresta de Rugu, que se estende pelos Estados de Níger, Katsina, Kaduna e Zamfara. As autoridades de Zamfara negociam há mais de um ano acordos de amnistia em troca da entrega de armas. Em Dezembro passado, negociaram a libertação de 344 jovens sequestrados por bandidos num internato localizado no Estado vizinho de Katsina.

Cada vez que há uma libertação, autoridades negam ter pago resgate, mas os especialistas em segurança não acreditam e alertam que essa prática pode levar ao aumento dos sequestros em regiões assoladas pela extrema pobreza e com pouca segurança.

O Presidente Muhammadu Buhari é cada vez mais criticado peloseu fracasso em garantir a segurança no país mais populoso da África.