Imprimir
Categoria: Internacional
Visualizações: 277

O DIRECTOR do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), John Nkengasong, disse esta quinta-feira (22) que o "objectivo realista" é chegar a 30% da população africana vacinada até final do ano.

"A meta realística é imunizar 25 a 30% da população africana até final do ano", disse o responsável durante a conferência de imprensa semanal, na qual vincou que "se as vacinas chegarem em Agosto e a distribuição for acelerada em setembro e outubro, é muito possível atingir este objectivo".

No encontro semanal, transmitido a partir de Addis Abeba, John Nkengasong disse que o continente africano já adquiriu 82,7 milhões de doses para 51 países e garantiu que as doses não estão a ser desperdiçadas.

"Dessas, 61,3 milhões foram administradas, o que representa 74% do total, portanto as vacinas não estão a ser desperdiçadas", vincou o responsável, exemplificando que "Marrocos usou 80% das doses, África do Sul 64%, Egipto 68% e Nigéria 99,9%", ao passo que Tanzânia, Eritreia e Burundi "não começaram a vacinação ainda".

Ainda assim, Nkengasong lamentou que apenas 1,3% dos africanos tenha recebido a cobertura total e defendeu que é preciso acelerar a compra e a distribuição de vacinas, sob pena de surgirem novas variantes e o fim da pandemia ser atrasado.

Na semana terminada a 18 de Julho, houve um decréscimo de 3% de novos casos face aos sete dias anteriores, e um aumento de 12% no número de mortes, que subiu de 5.492 na semana de 4 a 10 de Julho para 6.161 mortes de 11 a 18 de Julho.

África regista 159.719 mortes devido à Covid-19, num total de 6.281.998 casos de infecção com o novo coronavírus desde o início da pandemia, de acordo com os últimos dados do África CDC.-LUSA