PHC

Director: Lázaro Manhiça

LIMPOPO: Obscenidades femininas que assolaram Gaza - César Langa(Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.)

A PROVÍNCIA de Gaza tem sido bastante falada, nos últimos tempos, não só ao nível do país, como também além-fronteiras. Sei que é bom quando se fala de alguém, ou de algo, razão pela qual alguns chegam a dizer qualquer coisa como “falem bem… falem mal de mim… mas falem de mim…”. Isso mesmo! Só que, pessoalmente, tenho recebido chamadas, oriundas de tudo quanto é canto deste belo Moçambique, por me auto-assumir como “dono” desta parcela da Pérola do Índico e com todo o orgulho, solicitando-me algumas explicações. Mas fala-se mesmo de Gaza, por razões que agora ferem o meu humilde orgulho. Fala-se desta província por piores motivos que uma sociedade sã podia enfrentar.

Gaza é uma província reconhecidamente defensora de princípios. É um território de “guerreiros”, defensores acérrimos das suas causas. Terra de homens e mulheres com determinação, sem desprimor de outras províncias que corporizam este belo, vasto e multi-étnico Moçambique. Mas estamos a falar de Gaza, terra de Ngungunhana (não quero discutir a sua heroicidade), de Eduardo Mondlane, de Samora Machel, de Joaquim Chissano e de outros heróis anónimos.

Gaza é terra de Josina Machel, que morreu há 50 anos, cujas peripécias inspiraram a instituição do Dia da Mulher Moçambicana, celebrado no dia 7 de Abril. Porém, para a ironia do destino, foi justamente no mês da Mulher Moçambicana que Gaza se autografou da pior forma que se podia pensar. Afunilando: foi em pleno mês da mulher que algumas mulheres de Gaza (ou em Gaza) resolveram brindar o mundo com uma onda de obscenidades arrepiantes, retratadas em fotos e vídeos que inundaram as redes sociais.

Preocupante é que não se trata de mulheres por apenas serem do sexo feminino. Não se trata de mulheres por tão-somente usarem saias, capulanas e lenços. Trata-se de mulheres que (agora digo supostamente) carregam consigo enormes responsabilidades, a diversos níveis, desde a própria província até à nação, ainda que obscenidades não sejam legítimas, nem legitimadas para nenhum ser social.

Para além de responsabilidades, são mulheres que, pelas características físicas, deviam fazer parte de legisladoras naturais e guardiãs da harmonia e higiene social e institucional das comunidades. Mas ultrapassaram os limites do tolerável e trouxeram o que têm de íntimo para o consumo público, incluindo seus filhos e netos, para não falar de cônjuges (eventualmente), que acredito terem sido traídos e surpreendidos neste desfile de palhaçada algo pornográfica.

Primeiro foi uma quase “vovó”, certamente a caminho de aposentação, conhecida como funcionária de uma instituição pública, a revelar as suas habilidades sedutoras para homens de qualquer faixa etária. Depois foi a vez de uma outra mamã bem conhecida, reputada e (antes) respeitada ao nível da sua zona residencial, para se seguir uma professora, bem conhecida e culminando com uma figura ligada a um determinado nível do governo! Sinceramente!

Agora alega-se eventuais chantagens, com solicitações de valores monetários de permeio, mas os cenários apontam para filmagens e edições em compartimentos privados, para o posterior “consumo” do parceiro que, ao que tudo indica, não passa de uma peça de um xadrez amoroso com contornos extraconjugais, maioritariamente com idades inferiores, ou seja, gigolôs.

Não saber não é pecado, mas negar aprender é total estupidez! É bem sabida a perigosidade do recurso a redes sociais para este tipo de situações, mas as minhas “mamanas” ainda insistiram, sei lá por que carga de emoções, nestas plataformas. Não foram capazes de recorrer à sua intelectualidade para se lembrarem de que indivíduo prudente aprende com desgraças alheias.

Tentei todas as formas para não me debruçar sobre este assunto, mas acabei não resistindo, porque as manas não jogaram limpo(po). 

CONVERSAS AOS SÁBADOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Júlio Manjate

Administrator: Rogério Sitoe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction