Imprimir
Categoria: Opinião & Análise
Visualizações: 667

ESPECIAL? Hoje descobri que és comum. Mesquinha, rancorosa e emotiva. E como qualquer outra, tens o corpo como de qualquer outra. Teus pensamentos são semelhantes aos de qualquer mulher que passa na rua. Tuas dúvidas, essas é que são só tuas.

Descobri que te coloquei asas, pintei-te com pincéis divinos. Cobri-te de qualidades da Mãe de Cristo e tu te apropriaste com agrado. No fundo é o que achas que és. Bom para ti, pois como já li, não sei aonde, somos aimagem do que pensamos que somos.

Hoje vi tua malícia sem cometeres maldade nenhuma. Senti que as fronteiras que separam as mulheres prendadas e as devassas são frágeis, pois os desejos são vestes que todos seresn humanos guardam no seu íntimo. Vivem para exteriorizá-los.

És uma presa sedenta de predador. Queres ser devorada. Teu íntimo sabe disso. Tua boca mente para ouvidos alheios, mas eu sei o que o seu corpo quer. Sei...

És mulher como qualquer outra. És uma fêmea. Queres esse macho. Odeias isso, tua

mesquinhice prova que sim. Provocas, queres ser notada. Tuas armas são comuns, todas fêmeas têm.

Mas porque eu estou aqui a gastar meus dedos para essa mulher qualquer? Simples, sei que em meus braços serás especial. Serás única. Serás fêmea, mas não uma fêmea qualquer. Serás devassa, mas não uma devassa qualquer. Serás mulher, mas não uma mulher qualquer. Serás especial, o que fará de ti minha mulher.