Director: Lázaro Manhiça

De vez em quando: Da Tmcel já havíamos falado (Alfredo Macaringue)

 

FOI no ano passado, numa das minhas intervenções neste espaço, que falei sobre os bónus de bagatela que a Tmcel nos dava. Recebemos sem pré-aviso, e isso aconteceu numa altura em que a operadora tentava reconquistar os seus usuários e, por via disso, recuperar credibilidade. Os bónus eram tantos que chegámos a desconfiar, e eu publiquei um texto a falar sobre isso. Dizia que a esmola era tanta que nós, os pobres, já estávamos a pressentir uma cilada.

Fomos lidos por muitos e eu, em particular, pelos responsáveis da instituição, que trataram de nos enviar, por via da assessora de imprensa, uma carta a dizer para não nos atrapalharmos que o processo era sério e inabalável. Mesmo assim, a nossa dúvida manteve-se. E dizíamos mais: da mesma forma que nos estão a dar esta avalanche sem nos dizer nada, também nos vão tirar sem nos dizer nada. Era quase uma certeza que tínhamos.

Dito e feito: passado pouco tempo, a quantidade de bónus baixou. Voltamos à ribalta e dissemos: já viu! Nós já prevíamos! Escrevemos a falar da materialização do nosso prognóstico, só que desta vez a assessora de imprensa da Tmcel não disse nada. Quedou-se no silêncio.

Hoje é o que todos nós estamos a viver, infelizmente. A Tmcel parece estar a voltar à antiga situação de operadora deficitária, com quase sem bónus, confirmando a nossa falta de expectativa. É uma pena que não tenhamos tido confiança e essa falta de confiança vai manter-se até que provem o contrário daquilo que está à vista de todos.

Acho que o povo moçambicano não merece esta qualidade questionável do serviço que nos é prestado. Vivemos sempre na incerteza. Quando menos esperamos, enfiam-nos com taxas que não lembram o diabo. Era bonito o que a Tmcel nos oferecia como serviço. Falávamos à vontade, fazendo jus ao facto de comunicar ser um direito. Por isso não fazem sentido os valores exorbitantes que nos aplicam. Você recarrega agora com “cinquentinha”, pouco tempo depois já não tem nada.

Alguma coisa não está bem, e esta situação tende a agravar-se. Ninguém sabe se as taxas que nos têm sido cobradas são justas ou não. E esta dúvida é também em relação às outras operadoras. Estamos mal! A Internet devia ser acessível a todos, mas os megabites que nos dão voam como vento.

Rogério Zandamela, governador do Banco de Moçambique, está a colocar ordem na banca, com mão de ferro, e eu acho que alguém também nos devia explicar claramente se estamos ou não a ser servidos de acordo com os nossos direitos de consumidor. Alguém tem de vir em nossa defesa!

A luta continua!

CONVERSAS AOS SÁBADOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Júlio Manjate

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction